UM OLHAR SOCIOLINGUÍSTICO E CULTURAL SOBRE OS ÍNDIOS GUAJAJARA DE BARRA DO CORDA

  • Maria Elivania Alves Nunes UEMA
  • Karoline de Sousa Fernades
  • Natália Ribeiro de Sá Moura
  • Samuel Sousa de Lima
  • Giselle Vieira Pacheco

Resumo

INTRODUÇÃO: Sabe-se que o Brasil é um país de vasta miscigenação cultural e grande parte dessa memória deve-se à herança indígena. Os Guajajara por exemplo, são um dos povos indígenas mais numerosos do Brasil. Sua história durante mais de 380 anos foi marcada por um processo de aculturação, que envolveu também submissões, revoltas e grandes tragédias, como por exemplo, a da Hecatombe de Alto Alegre com os missionários capuchinhos que geralmente é retratada colocando o índio como facínora, desconhecendo a versão narrada pelos Guajajara e originando assim a imagem do “índio mau” perante a sociedade. Apesar de muitos já viverem dentro da cidade em constante contato com os não-índios, é impressionante constatar como os Guajajara tornaram-se invisíveis para boa parte do povo do município, além do preconceito que estes sofrem ao fazerem parte da sociedade, cada vez mais o povo indígena vem tendo o apagamento da sua cultura histórica, muitas vezes considerada pelos não-índios como profana. Nas escolas, por exemplo, não se encontra o ensino da história e cultura indígena, portanto não há como a sociedade conhecê-la desde os primórdios da vida. O desconhecimento dessas informações resulta na não aceitação do reconhecimento da importância dos índios no processo de formação cultural do país. Assim, o presente trabalho, teve como objetivo geral estimular e despertar o conhecimento dos alunos de Ensino Médio de Barra do Corda, quanto à relevância do contexto sociolinguístico e cultural dos índios Guajajara. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O trabalho segue a linha de pensamento de Olímpio Cruz, pesquisador brasileiro com vários livros dedicados aos indígenas do Maranhão; também é baseado nas pesquisas de Mércio Pereira Gomes, Galeno Edgar Brandes, casal Harrison, Edson Soares Diniz e de artigo da Revista Curiá: múltiplos saberes. Todo esse material possui em comum a valorização da cultura e saberes indígenas maranhenses, em especial da sociedade Guajajara barra-cordense, ainda que, em alguns trabalhos, não a citem diretamente. Cabe mencionar a entrevista de campo, feita pelos pesquisadores do projeto, que também dá credibilidade às informações contidas nesta pesquisa. MATERIAL E MÉTODOS: Este texto parte de um projeto de pesquisa e extensão feita pelos acadêmicos do 5° período de Letras da UEMA-Universidade Estadual do Maranhão, para a elaboração de um livreto didático sobre a história dos índios Guajajara. É um texto descritivo e também dissertativo argumentativo, descritivo, pois narra de forma direta fatos e crenças dos índios Guajajara. Descritivo argumentativo, pois tem o objetivo trazer a tona aspectos culturais religiosos dentre outros aspectos que constituem a formação do índio Guajajara e, ainda a importância destes para a história de Barra do Corda com o intuito de minimizar o preconceito ainda existente para com esses povos. Trata-se de uma pesquisa feita in loco, onde os acadêmicos tiveram a oportunidade de conhecer uma das aldeias onde vivem os índios Guajajara bem como entrevistá-los. E ainda de uma pesquisa bibliográfica fundamentada em alguns dos autores que mais trataram de abordar a vida desse povo indígena, foram eles: Galeno Edgar Brandes (1994), cuja obra em seu primeiro capítulo retrata a história dos aborígenes; Olímpio Cruz (1982), que descreve com precisão sobre as lendas indígenas dos Guajajara e, sobretudo, por Edson Soares Diniz (1983), que através de alguns jornais, artigos e livros descreveram sobre a vida dos “Teneteháras”. Para o contexto linguístico, o estado de arte fundamenta-se também em Harrison (2018). O presente trabalho realizou-se através de palestras feitas pelos acadêmicos em algumas escolas públicas de ensino médio de nossa cidade, estimulando os alunos a conhecerem sobre a cultura dos Guajajara. As palestras foram incrementadas com sorteio dos livretos mencionados anteriormente, contendo as informações abordadas nas explanações, bem como todo o histórico e ilustrações sobre os Guajajara. CONCLUSÃO: Mediante os fatos apresentados, é inegável a riqueza presente na sociedade Guajajara. Estudos mais aprofundados merecem ser feitos, visto que há uma bibliografia ainda escassa, em termos de pesquisa, se comparada a de outras culturas presentes no Brasil, como a portuguesa. Urge desejar, por fim, que esta pesquisa seja uma das muitas outras que virão, de maneira a não permitir o esquecimento, ou escanteio, dos intensos debates que ainda permeiam a comunidade Guajajara no Brasil.

Biografia do Autor

Giselle Vieira Pacheco

Possui graduação em Letras pela Faculdade Santa Fé (2004), especialização em língua e literatura portuguesa, especialização em metodologia do ensino de língua espanhola e MESTRADO EM LETRAS pela Universidade Estadual do Maranhão (2018). Professora concursada de língua espanhola do Estado, foi professora celetista de língua portuguesa, da FACULDADE EDUFOR, foi professora de língua espanhola do programa Profebpar; da Universidade Federal do Maranhão; foi professora de Leitura e Produção Textual da faculdade Edufor, e, atualmente professora de língua portuguesa UEMA- Cesbac de Barra do Corda; das disciplinas de leitura e produção textual e metodologia da pesquisa científica da Faculdade Unicentro- Facma de Barra do Corda.

Publicado
2020-12-11