SUFRÁGIO FEMININO BRASILEIRO

  • Letícia Millani

Resumo

Quando falamos de sufrágio, falamos da escolha de representantes do povo brasileiro. A soberania do povo é exercida por meio do direito político democrático que é o sufrágio traduzindo o direito de poder votar e de poder ser votado, sendo o voto o exercício do mesmo (PAES, 2013). Já o termo “feminismo” surgiu em meados de 1837, mas antes disso mulheres já expressavam seus ideais feministas (MCCAN et al., 2019). Feminismo era  a expressão usada para “descrever um movimento que tinha como objetivo conquistar igualdade social, econômica e legal entre os sexos, e terminar com o sexismo e a opressão às mulheres pelos homens” (MCCAN et. al.,  2019, p.14). O presente artigo tem como tema a história de mulheres sufragistas e feministas através dos anos e a inserção das mesmas na esfera eleitoral do país, analisando sua trajetória desde o princípio das lutas sufragistas-feministas até os dias atuais levando em conta que, no decorrer das décadas elas sempre estiveram, historicamente, em desigualdade aos homens se tratando de seus direitos, e neste caso, especificamente sobre os direitos políticos (JUCOVSKY, 2000). Este mesmo visa estudar o crescimento e a conquista da independência eleitoral feminina no Brasil.

Publicado
2020-12-11