A LITERATURA CINZENTA CORDINA E SUAS URDIDURAS SOBRE BARRA DO CORDA

  • Rosane Pereira Martins
  • Lívyan Gabriela Rodrigues de Oliveira
  • Iohana de Araújo Souza
  • Giselle Vieira Pacheco
  • Thiago de Oliveira Chaves
  • William Andrade Bezerra
  • Francinayra Morais dos Santos

Resumo

Somos fruto de nossas lembranças, histórias e memórias que foram marcadas pela trajetória de fatos e feitos históricos de personagens que deixaram suas contribuições, e por sua vez, perpassam por vieses e perspectivas políticas, literárias e culturais sobre Barra do Corda. Sabe-se que as cidades, como espaço de vivências coletivas, são paisagens privilegiadas de registros da memória. A pena dos escritores faz dessas paisagens personagens vivas de narrativas. Nesse sentido, cabe agregar que o presente trabalho, surgiu de uma indubitável e inquestionável necessidade do reconhecimento da nossa própria história e, sobretudo, da literatura, entrecruzando a escrita literária de alguns autores barra-cordenses, e suas perspectivas quanto ao que se refere o povo Guajajara, as questões religiosas, os patrimônios naturais e materiais, e os primeiros pensamentos de defesa das causas sociais, abolição da escravidão e o republicanismo; como foi o caso dos autores e juristas Clodoaldo Cardoso e Isaac Martins, juntamente com Rocha Lima e Dunshee de Abranches; considerados alguns dos juristas precursores, que lutaram pelas causas e direitos sociais. Dentre os mencionados anteriormente, também preterimos abordar os seguintes: Lourival Pacheco, Olímpio cruz, William Figueira, Raimundo Braga Martins, Assis Soares, Isaac Ferreira, Luís Pires, Nicanor Azevedo, Nonato Pinheiro, Galeno Edgar Brandes e Maranhão Sobrinho, que em seus escritos transpuseram seu amor e exaltação a Barra do Corda. Sob essa perspectiva, tem que se ressaltar que por uma lado há uma omissão de se falar dessas personagens que ajudaram a construir a nossa identidade barra-cordense em aulas de literatura por exemplo, ou até mesmo de história; por outro lado nos deparamos com as grades curriculares em seus formatos impostos e fechados, que às vezes não oportunizam ao docente a possibilidade de abordar a literatura e a cultura local. 

Publicado
2020-12-11