A COMPETITIVIDADE DA INDÚSTRIA ALIMENTÍCIA DE DOM PEDRITO/RS: UM ESTUDO NAS AGROINDÚSTRIAS PANIFICADORAS E CONFEITEIRAS.

Osmar Manoel Nunes, Janaína Wohlenberg, Taize Dotto Crema, Cindy Conceição da Rosa

Resumo


Este artigo analisa a competividade da indústria alimentícia de Dom Pedrito/RS, através de um estudo nas agroindústrias panificadoras e confeiteiras. O trabalho representa uma pesquisa realizada em doze empresas do ramo, de um total de trinta e seis, representando 30%, a partir de um Projeto de Extensão desenvolvido na Unipampa de capacitação das Agroindústrias Panificadoras, ocorrido entre maio de 2014 e abril de 2015. O método utilizado foi o dedutivo, pois partiu-se do geral para chegar a conclusões especificas. Como técnica de pesquisa utilizou-se o Modelo das cinco forças competitivas de Michael E. Porter, a saber: a rivalidade entre as empresas existentes no setor, o poder de negociação dos fornecedores, o poder de negociação dos compradores, a ameaça de novos entrantes, e a ameaça de produtos ou serviços substitutos. Concluiu-se que em relação a rivalidade entre as empresas existentes, a mesma acirra-se não através de guerra de preços, mas por seguidores de preço, e os estabelecimentos estão distribuídos de forma que não interferem no desempenho um do outro; em relação ao poder de negociação dos fornecedores, os fornecedores do insumo farinha de trigo possuem um peso maior, sendo um total de dois, e não possibilitam margem para negociação; o poder dos compradores não ocorre devido as vendas serem fracionadas; também não  há neste setor barreiras aos novos entrantes, bem como a ameaça de produtos substitutos não ocorre com o setor padaria, mas o setor de confeitaria é mais vulnerável a novos produtos substitutos ou a introdução de novas receitas.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.