QUAIS OS IMPACTOS DA REFORMA TRABALHISTA NA ADMINISTRAÇÃO DAS ORGANIZAÇÕES

Afonso Dalla Rosa, Mateus Itacyr Schwaiser, Evandro José Krewer

Resumo


O presente artigo visa demonstrar os impactos imediatos da famigerada reforma trabalhista na administração das organizações. Mediante o estudo do quantitativo de reclamatórias trabalhistas ajuizadas no país em período anterior e posterior à lei 13.467/17 (reforma trabalhista), tendo como objetivos específicos: identificar quais são as principais reclamatórias trabalhistas; dentre estas, analisar quais institutos sofreram alterações em virtude da lei 13.467/17; observar a relação quantitativa entre as principais reclamatórias a priori e a posteriori à reforma. Cabe salientar que o método de análise para produção deste artigo foi o de pesquisa bibliográfica, conforme análise documental do banco de dados do Tribunal Superior do Trabalho (TST), realizando, assim, o estudo quantitativo de relatório disponibilizado pelo órgão. Em face aos objetivos expostos conclui-se que as alterações ocasionadas pela famigerada reforma não atingiram o núcleo central dos direitos, entretanto alteraram estes indiretamente, o que não justifica a representativa queda de reclamatórias em 43%, consoante o quantitativo nacional. Frente a isto, se observa a instauração de um cenário de insegurança jurídica, tanto para empregado quanto para empregador, sendo que ambos deverão aguardar o posicionamento dos órgãos superiores para a adequada aplicação das normas, ficando evidenciada a importância do profissional da área de STAFF na adequada orientação da alta gestão e dos clientes internos da organização.

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.