A INFLUÊNCIA DA UTILIZAÇÃO DA MEDICINE BALL NO APERFEIÇOAMENTO DO TOQUE NO VOLEIBOL

  • G. BOEIRA Universidade de Caxias do Sul - UCS
  • C. A. MARRAMARCO
  • D. T. TRENTIN

Resumo

O voleibol vem se desenvolvendo e evoluindo a cada ano, basta verificar os últimos resultados das seleções nacionais brasileiras. Arruda e Hespanhol (2008) retratam que as vitórias que as seleções alcançam, trazem a conseqüência de desenvolver cada vez mais o esporte, incentivando o progresso e o crescimento da competitividade nessa modalidade, contribuindo para a busca incessante do aperfeiçoamento físico, técnico e tático  O toque é importante para volear a bola quando essa vem acima da cabeça; dar mais precisão ao passe; tirar a força da bola enviada pelo oponente; e no aspecto tático, o toque aumenta a velocidade com que a bola chega aos atacantes dificultando para o bloqueio adversário (BIZZOCHI, 2004). A medicine ball, um acessório disponível em diversos tamanhos, cores e pesos, utilizados para os treinamentos resistidos e pliométricos.. (FAIGENBAUM E MEDIATE, 2006). A utilização da medicine ball no vôlei é apropriada, quando o intuito é aproximar o exercício envolvido, o mais próximo possível com a realidade do jogo, prevalecendo a segurança e a qualidade da execução. O objetivo deste estudo foi verificar a influência da utilização da medicine ball como instrumento alternativo para o aperfeiçoamento do toque no voleibol. Para avaliar a potência muscular foi utilizado o teste de arremesso de medicine Ball do PROESP (2009), a precisão direcionaria foi avaliada através da Avaliação de Precisão do Toque de Franco e Franco (2007) e gesto técnico através da Pauta de Observação do Toque, adaptado de Bizzochi (2004) e Franco e Franco (2007). A amostra foi composta por 31 atletas de ambos os sexos das categorias mirim e infantil das equipes de voleibol da Universidade de Caxias do Sul, divididos em Grupo Experimental (GE) e Grupo Controle (GC). Foi realizada uma intervenção com dois exercícios utilizando a medicine ball, durante 11 semanas com a realização de testes inicias e finais para obtenção dos resultados. Para análise estatística foi utilizado o teste t student dependente e independente utilizando o nível de significância de 5%. Dos três aspectos avaliados, o gesto técnico foi o único que apresentou maiores diferenças, sendo estatisticamente significativas quando comparados GE e GC. Nos aspectos potencia muscular e precisão direcionaria, foram observadas melhoras em ambos os grupos, porem estas não foram estatisticamente significativas. Conclui-se que ouve uma evolução de forma geral, com uma diferença estatística pequena a favor do GE, verificando uma influência positiva no aperfeiçoamento do toque principalmente em relação ao gesto técnico, podendo ser utilizado então como um método alternativo para o aprimoramento deste fundamento que necessita de precisão e qualidade técnica.

Publicado
2018-04-11