COMPARAÇÃO DO TEMPO DE REAÇÃO ENTRE GOLEIROS DE FUTEBOL E FUTSAL

  • L. TRUBIAN Universidade de Caxias do Sul – UCS
  • C. A. MARRAMARCO

Resumo

O futebol tornou-se o esporte mais popular do mundo, estando presente, de alguma forma, na vida da maioria dos brasileiros. Segundo Junior et al (2007) o futsal surgiu como uma adaptação do futebol pela dificuldade de se obter campos de futebol em grandes centros. Com todas as modificações táticas o goleiro passou a ter uma função cada vez mais importante. (VOSER et al, 2006). Uma importante medida de performance é o Tempo de Reação (TR), que indica a velocidade e a eficácia da tomada de decisão. (SCHMIDT & WRISBERG, 2001). O objetivo deste presente estudo é verificar o Tempo de Reação Simples (TRS) e Tempo de Reação de Escolha (TRE) de goleiros nas modalidades esportivas futebol e futsal. Participaram desta pesquisa 33 atletas voluntários sendo 15 atletas de futebol e 18 atletas de futsal do sexo masculino com idades entre 15 e 17 anos. Para a aferição foi utilizado um Cronometro medidor de TR, sendo este capaz de aferir o Tempo de Reação sensorial. No teste de TRS quanto o de TER o avaliado manteve o dedo médio da mão dominante sobre um dos eletrodos, desta forma ativando o ciclo teste. Em um momento qualquer, uma lâmpada foi acesa indicando que esse mesmo dedo médio deve ser movido para outra chave, indicada por uma lâmpada. Para o teste de TRE o avaliado deveria colocar os dois dedos médios, um em cada eletrodo, tendo assim quatro opções de resposta. Para verificar diferenças estatisticamente significativas foi utilizado o T-Test. O tempo de reação simples e de escolha foi calculado mediante a média dos tempos obtidos nos testes dos goleiros de futebol e futsal. Com base nos cálculos estatísticos, podemos observar que não foram encontradas diferenças significativas para as médias do TRS entre modalidades. No TRE observou-se uma diferença maior entre modalidades quando observados a sua média, porém não mostrando diferenças estatisticamente significativas. De acordo com os resultados do presente estudo, é possível concluir que a média do TRS e TRE nas modalidades de futebol e futsal não apresentam diferenças significativas. Tais resultados parecem ser explicados pelo fato de tanto goleiros de futsal quanto de futebol terem uma relativa quantidade de treinamento na posição. Recomenda-se a ampliação de estudos desta natureza para futuras comparações.

Publicado
2018-04-11