COMPARAÇÃO DE DOIS TIPOS DE TREINAMENTO SOBRE A FORÇA DE MULHERES IDOSAS

MOLINARI M., MOLINARI T., VARGAS C., SILVA R., DAL BELLO M., RONCADA C., TIGGEMANN C. L., DIAS C. P.

Resumo


O envelhecimento é um processo que afeta todos os indivíduos de forma gradativa provocando desequilíbrios fisiológicos. Sabe-se que um dos comprometimentos mais observados é a perda de força e massa muscular, sendo que a realização de treinamento de força tem se mostrado efetivo no sentido de minimizar tais comprometimentos. Assim, o objetivo do presente estudo foi comparar o efeito dos treinamentos de força e treinamento concorrente sobre a força muscular de mulheres idosas. Métodos: Participaram do estudo idosas da cidade de Caxias do Sul/RS, as quais assinaram um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido, sendo o estudo aprovado pelo Comitê de Ética. As mesmas foram distribuídas em dois grupos de treinamento: grupo força (GF) o qual realizou treinamento de força, estruturado em três mesociclos compostos de duas séries de 8 a 12 repetições com intensidade de 60 a 80% da carga máxima (1RM); e o grupo concorrente (GC) o qual realizou protocolo idêntico ao do treinamento de força, sendo acrescido após um treinamento aeróbico, dividido em três mesociclos compostos de 20 a 35 minutos de exercícios em esteira, sendo a intensidade utilizada de 60% a 85% da FCmáx e percepção de esforço de 13 a 16. Os treinamentos ocorreram duas vezes por semana durante 12 semanas. A avaliação de força dinâmica máxima foi realizada por meio do teste de uma repetição máxima nos exercícios de extensor de joelhos e leg press. Uma análise multivariada com post hoc de Bonferroni foi utilizada para comparação das variáveis dependentes entre os grupos e momentos, adotando-se um p≤0,05. Resultados: Foram observados incrementos na força muscular comparando os momentos pré e pós-treinamento em ambos os grupos, tanto para extensor de joelhos (GF pré 26,28±7,12 vs pós 31,00±5,83 kg, p=0,006; GC pré 28,25±7,24 vs pós 34,50±7,19kg,  p=0,002) como para o leg press (GF pré 62,09±13,07kg vs pós 72,55±17,42 kg,  p=0,040; GC pré 64,7±17,38 vs pós 76,1±16,62kg p=0,043), sem diferenças significativas entre os grupos (p>0,05). Conclusão: Concluímos que o período de 12 semanas de treinamento físico regular de força e concorrente foram suficientes para causar alterações na força muscular em idosas, sem apresentar diferenças entre os tipos de treinamento.

 


Palavras-chave


Força dinâmica máxima, Envelhecimento, Treinamento de resistência

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.