MENINOS E MENINAS COM DESORDEM COORDENATIVA DESENVOLVIMENTAL E DESENVOLVIMENTO TÍPICO: UMA COMPARAÇÃO DE HABILIDADES

ZANELLA, L. W., SOUZA M. S., VALENTINI N. C.

Resumo


Diversos estudos têm investigado as dificuldades enfrentadas por crianças com Desordem Coordenativa Desenvolvimental (DCD). Entretanto, apesar das contribuições destas pesquisas, verifica-se que ainda são poucos os detalhes acerca da especificidade da desordem e o comprometimento motor decorrente da mesma. Para que pais, professores e equipes multidisciplinares possam auxiliar de forma direcionada, verifica-se a necessidade de investigar os prejuízos motores mais acentuados e se essas possíveis dificuldades são similares ente meninas e meninos. Objetivo: verificar as possíveis diferenças entre meninos e meninas com DCD, risco de DCD (r-DCD) e com desenvolvimento típico (DT) nas habilidades motoras fundamentais. Métodos: participaram desse estudo 97 crianças, destas 35 crianças foram identificadas com DCD (17 meninas e 18 meninos), 18 crianças em r-DCD (11 meninas e 7 meninos) e 44 crianças com DT (26 meninas e 18 meninos). As crianças tinham idade entre 5 e 8 anos e eram provenientes de escolas públicas de Porto Alegre-RS. As crianças foram avaliadas com o Movement Assessment Battery for Children-Second Edition para a categorização motora (DCD % < 5; r-DCD entre 6 e 15%; DT > de 16%). Todas as crianças tiveram suas habilidades motoras fundamentais avaliadas com o Test of Gross Motor Develoment – Second Edition. Análise descritiva com média, desvio padrão e frequência foram utilizados e para as comparações entre grupos teste t independente foi conduzido. Resultados: Ao comparar os subgrupos entre as meninas e meninos separadamente foi verificado que: (1) meninas com DCD apresentaram maior prejuízo motor em comparação com as meninas com DT no galope (p=0.040); (2) meninos com DCD apresentaram maior prejuízo motor em comparação com os meninos com r-DCD nas habilidades de salto com um pé (p=0.002), salto horizontal (p=0.050), chutar (p=0.019) e melhor desempenho em rolar (p=0.034); (3) meninos com r-DCD apresentaram maior prejuízo motor em comparação com os meninos com DCD nas habilidades de receber (p=0.031) e rolar (p=0.018) e melhor desempenho na habilidade de salto com um pé (p=0.011). Quando comparados meninos e meninas dentro do subgrupo foi possível verificar que: (1) meninos com DCD apresentam melhor desempenho que meninas com DCD em quicar (p=0.039); (2) meninos com r-DCD apresentam melhor desempenho que meninas com r-DCD em salto com um pé (p=0.006), chutar (p=0.043), arremessar (p=0.028) e rolar (p=0.047); meninos com DT apresentam melhor desempenho que meninas com DT em rebater (p=0.001) e arremessar (p=0.001). Conclusão: as dificuldades motoras enfrentadas por crianças com DCD e r-DCD são bastante acentuadas e envolvem especialmente os meninos quando comparados com crianças com DT. Quando comparados meninos e meninas com a desordem, verifica-se que as dificuldades são ainda mais proeminentes entre as meninas. Nesse sentido, verifica-se a necessidade de atenção específica para todas as crianças. 


Palavras-chave


Transtornos das habilidades motoras; Destreza Motora; Criança

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.