ELABORAÇÃO DE UMA CARTILHA DE ATENÇÃO PRIMÁRIA A SAÚDE DE MULHERES IMIGRANTES DO HAITI

  • Caroline Lodi Bonatto
  • Maitê Vicente da Silva dos Santos
  • Joice Lisboa Cucolotto
  • Renata D`Agostini Nicolini-Panisson Centro Universitário da Serra Gaúcha/ Professora Doutora Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Reabilitação

Resumo

INTRODUÇÃO: O número de migrações para o Brasil tem aumentado nos últimos anos. Nosso estado e cidade têm recebido diversos migrantes, entre eles, as mulheres haitianas. OBJETIVO:Este artigo propõe a realização de uma revisão bibliográfica e pesquisa de campo para a elaboração de uma cartilha de orientações, afim de auxiliar na atenção primária a saúde dessas mulheres.METODOLOGIA: Trata-se de uma revisão bibliográfica realizada para desenvolver um trabalho de caráter social artístico, através da produção de uma cartilha informativa, que terá sua apresentação em quatro idiomas, sendo eles: português, francês, inglês e crioulo haitiano. A cartilha teve por base requisitos estabelecidos em reunião com representantes do Centro de Atendimento ao Migrante (CAM) da cidade de Caxias do Sul, além de colaborações referentes aos conteúdos que serão abordados por profissionais que atuam no atendimento neste Centro. Ao término da elaboração deste material, ele foi distribuído no CAM e foram realizadas palestras para esclarecer as informações contidas no documento. RESULTADOS:A elaboração da cartilha (Figura 1) foi baseada nas demandas levantadas pelas profissionais do CAM, assistente social, assistente de relações internacionais e psicóloga. Entre as demandas apresentadas salientamos: acompanhamento pré-natal, cuidados com o recém-nascido, acompanhamento ginecológico, vacinações, métodos contraceptivos, prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, incontinência urinária e saúde bucal. Todos esses componentes estão inseridos na cartilha de orientação. CONCLUSÃO: A elaboração deste material de atenção à saúde primária das mulheres imigrantes do Haiti, baseada nas demandas solicitadas por estas mulheres ao Centro de Atendimento ao Migrante (CAM) evidencia a importância do profissional de saúde enquanto mediador de informações e auxílio em questões básicas de saúde pública. 

Publicado
2017-10-27