INFLUÊNCIA DA RUGOSIDADE SUPERFICIAL DO CIMENTO RESINOSO NA ADESÃO BACTERIANA

  • Letícia Albé Tonolli Centro Universitário da Serra Gaúcha
  • Daniel Galafassi

Resumo

Os cimentos na Odontologia são utilizados para uma grande variedade de situações clínicas. Esses agentes promovem a união entre o substrato dentário e a restauração, preenchendo os espaços existentes entre as superfícies, selando as interfaces dental e atuando também como um isolante térmico, elétrico e químico. Segundo PINTO et al., (2006), citaram como características ideais de um agente cimentante: adesividade ao dente e aos materiais utilizados para preencher o preparo, pequena espessura de película, alto escoamento, tempo longo e trabalho e presa rápida quando ativado quimicamente. A cimentação adesiva atualmente, tem tornado um passo corriqueiro dentro da Odontologia e no ambiente clínico, auxiliando em casos estéticos de próteses fixas e restauradoras. Entretanto, a linha de cimentação tem sido inserida intrasulcularmente. Sendo assim, o presente estudo tem por objetivo avaliar a influência da rugosidade superficial de um cimento resinoso dual (Set PP –SDI)  na formação de colônias de Streptococcus mutans. Sessenta (60) corpos de prova serão confeccionados (n=10), divididos em seis (6) grupos experimentais, G1 (grupo controle) – Sem tratamento de superfície, G2 - ponta diamantada F, G3 - ponta diamantada FF, G4 - broca multilaminada, G5- borrachas de polimento Shofu, e o grupo G6 – microbrush. Os corpos de prova serão analisados pela avaliação do crescimento bacteriano e qualitativamente na análise da superfície preparada por Microscopia Eletrônica de Varredura (M.E.V). Os resultados serão analisados pelo método de estatística mais apropriado.

Publicado
2017-10-27