A SOCIEDADE CONSUMOCENTRISTA: OS IMPACTOS E A PRESERVAÇÃO SOCIOAMBIENTAIS A PARTIR DA VISÃO DA TEORIA DOS SISTEMAS AUTOPOIETICOS

  • Cleide Calgaro Universidade de Caxias do Sul
  • Agemir Bavaresco Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
  • Draiton Gonzaga de Souza Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: A pesquisa tem o escopo de mostrar a relação existente entre a sociedade consumocentrista e seus impactos socioambientais, principalmente no que se refere à disciplina imposta ao sujeito dentro do mercado. Parte-se da ideia de que essa padronização leva a problemas sociais e ambientais advindos da produção e do descarte de produtos que abastecem uma sociedade consumocentrista alienada para tudo que vai além do consumir. O sujeito, nesse tipo de sociedade, se fixa no “aparentar” e isso faz com que ele se esqueça dos impactos que esse consumo exagerado e centralizador traz ao meio ambiente e à sociedade. MATERIAL E MÉTODOS: Para tal análise utilizam-se aportes da teoria dos sistemas autopoieticos de Niklas Luhmann. O método de pesquisa utilizado é o sistêmico, através de pesquisa documental e bibliográfica, com base na teoria do sistema e em teorias de direito do consumidor e direito ambiental. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Como considerações preliminares, entende-se que os problemas socioambientais estão atrelados ao fato do sujeito não conseguir se subjetivar na sociedade consumocentrista, pautada no capital, no poder e no lucro. O sujeito dessubjetivado, deixa de ser sujeito, para tornar-se adestrado e docilizado por padrões de consumo que não se preocupam com os aspectos socioambientais, tendo em vista que, nessa sociedade consumocentrista, gerida pelo consumo exagerado, ele é adestrado a consumir, muitas vezes sem pensar. CONCLUSÃO: Entende-se, como possível solução a adoção da teoria dos sistemas, onde o sujeito sabe que faz parte de um círculo sistêmico, podendo ser um elemento dinamizador para o enfrentamento dos problemas sociais e ambientais. Assim, através da teoria dos sistemas podem-se criar novas estratégias que diminuam os impactos socioambientais do consumocentrismo na sociedade moderna. REFERÊNCIAS

ARNAUD, André Jean. JR., Damir Lopes. (org.) Niklas Luhmann: do Sistema Social à Sociologia Jurídica. São Paulo: Lúmen Júris, 2004.

CAPRA, Fritjof. A teia da vida. Uma nova compreensão científica dos sistemas vivos. Trad. de Newton Roberval Eichemberg. São Paulo: Cultrix, 2001.

DEBORD, Guy. A sociedade espetáculo. Trad. Estela dos santos Abreu. Rio de Janeiro: Contraponto, 1997, p.30.

FOUCAULT, Michel. Vigiar e punir: nascimento da prisão. 38. ed. Trad. Raquel Ramalhete. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

GOFFMANN, E. A representação do eu na vida cotidiana. Petropolis: Vozes, 1999.

LIPOVETSKY, Gilles. A era do vazio: ensaios sobre o individualismo contemporâneo. Barueri-São Paulo: Manole, 2005.

LIPOVETSKY, Gilles. O Império do Efêmero. São Paulo: Companhia de Bolso, 2008.

LUHMANN, Niklas. Sociologia do Direito I. RJ: Tempo Brasileiro, 1983.

MARÉS, Carlos Frederico. Introdução ao Direito Socioambiental. In: LIMA, André (org). O direito para o Brasil socioambiental. São Paulo: Instituto Socioambiental, Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris Editor, 2000.

SANTILLI, Juliana. Socioambientalismo e Novos Direitos. São Paulo: Peirópolis, 2005.

SANTOS, Ailton Dias Dos. Metodologias Participativas: caminhos para o fortalecimento de espaços públicos socioambientais. IEB- Instituto Internacional de Educação do Brasil. São Paulo: Peirópolis, 2005.

TEUBNER, Günther. O direito como sistema autopoiético. Trad. José Engrácia Antunes. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 1989.

Biografia do Autor

Cleide Calgaro, Universidade de Caxias do Sul

Doutora em Ciências Sociais na Universidade do Vale do Rio dos Sinos - UNISINOS. Pós-Doutora em Filosofia e em Direito ambos pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul - PUCRS. Doutoranda em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS. Mestra em Direito e em Filosofia pela Universidade de Caxias do Sul – UCS. Atualmente é Professora e pesquisadora no Programa de Pós-Graduação – Mestrado e Doutorado - e na Graduação em Direito da Universidade de Caxias do Sul. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa "Metamorfose Jurídica”.  CV: http://lattes.cnpq.br/8547639191475261. E-mail: ccalgaro1@hotmail.com

Agemir Bavaresco, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Doutor em Filosofia na Université Paris I (Pantheon-Sorbonne) (1997). Pós-Doutorado na Fordham University (2009). Visiting Scholar na University of Pittsburgh (2011 e 2012). Pesquisa pós-doutoral na University of Sydney (2013). Pesquisa e solidariedade na University of Guyana (2014). Pesquisa pós-doutoral na Columbia University (2015). Pesquisa pós-doutoral Kingston University/London (2016 e 2017) no Center for Research in Mondern European Philosopy. Possui ainda mestrado em Filosofia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1993), graduação em Filosofia pela Universidade Católica de Pelotas (1978), graduação em Teologia pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (2010) e Bacharel em Direito pela Universidade Católica de Pelotas (2007). Atualmente é professor do Programa de Pós-Graduação em Filosofia da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS). Pesquisa a partir de um viés interdisciplinar nas áreas de Filosofia Moderna, Filosofia Social e Filosofia Política Brasileira. Dedica-se a atualização do tema Contradições da Democracia e Opinião Pública
Draiton Gonzaga de Souza, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul.
Bacharel em Filosofia e em Direito. Realizou o mestrado em Filosofia e em Direito. Concluiu o doutorado em Filosofia pela Universidade de Kassel (Alemanha), em 1998, com bolsa CAPES-DAAD. Realizou pós-doutorado na Universidade de Tübingen (Prof. Dr. Otfried Höffe) e no Hegel-Archiv, da Universidade de Bochum (Prof. Dr. Walter Jaeschke), como bolsista da Fundação Alexander von Humboldt. Recebeu, em 2003, prêmio do DAAD, e, em 2013, da Fundação Alexander von Humboldt (Humboldt-Alumuni-Preis) devido ao engajamento na cooperação acadêmica Brasil-Alemanha. É Professor Titular e Decano da Escola de Humanidades da PUCRS, atuando, na graduação e na pós-graduação, como Professor Permanente no PPG em Filosofia e no PPG em Direito da PUCRS. É Advogado, Tradutor Público e Intérprete Comercial concursado para o idioma alemão e Vice-Direitor do CDEA (Centro de Estudos Europeus e Alemães - UFRGS-PUCRS-DAAD)
Publicado
2017-10-27
Seção
Ciências Jurídicas e Sociais - Resumo Expandido