RELATO DE EXPERIÊNCIA: RODA DE CONVERSA ENTRE PROFESSORES SOBRE A INCLUSÃO ESCOLAR, A TERAPIA OCUPACIONAL COMO MEDIADORA**

Resumo

A promulgação da Lei n° 9.394, de 20 de dezembro de 1996 abrange a educação inclusiva de crianças com deficiência nas escolas regulares, ou seja, crianças sem e com deficiência frequentam a mesma sala de aula em um convívio mútuo (BRASIL, 1996).Espera-se que a escola, ao abrir as portas para tais alunos, informe-se e oriente-se com profissionais da educação e da saúde sobre as especificidades e instrumentos adequados para que todo aluno encontre na escola um ambiente adequado, sem discriminações e que lhe proporcione o maior e melhor aprendizado possível (SASSAKI, 1999).  O professor não possui nenhum instrumento para poder conseguir dar um suporte de aprendizado para seu aluno e, muitas vezes, é necessário somente informações de um profissional especializado que os oriente frente as dificuldades e capacidades deste aluno (STAINBACK, 1999). Conforme Marchesi (2004), a peça chave para que a inclusão realmente aconteça é o professor, para isso ele precisa se sentir hábil para atuar efetivamente com seu aluno. Assim, o objetivo do trabalho foi relatar a experiência de acadêmicas do Curso de Terapia Ocupacional como mediadoras de uma roda de conversa com professores sobre Inclusão Escolar. Contatou-se uma escola da rede pública municipal de Caxias do Sul e buscou-se informações sobre os alunos com deficiências acolhidos na mesma. Baseado nas informações emitidas pela escola, um folder foi criado com estratégias para as diferentes deficiências acolhidas como auxílio aos professores na aprendizagem do aluno com deficiência. A partir disto, foi realizada uma roda de conversa para professores das séries iniciais e finais do ensino fundamental da escola contatada.Participaram da roda de conversa 27 professores da referida escola. Diante das duas perguntas feitas aos professores (o que sabiam e/ou deveriam saber sobre as deficiências de seus alunos) conseguiu-se extrair informações entre as mesmas, dúvidas de manejo com os alunos e explicações sobre determinadas deficiências encontradas na escola municipal. Portanto, o trabalho do terapeuta ocupacional junto à escola fornece não somente suporte para o aluno com deficiência (trazendo adaptações e estímulos para sua aprendizagem), mas também trabalha junto ao professor com orientações e informações sobre a deficiência e estratégias.
Publicado
2017-10-27