A TERAPIA OCUPACIONAL AQUÁTICA NO TRATAMENTO DE ADOLESCENTE COM SÍNDROME DE DOWN E AUTISMO ASSOCIADOS

  • Luzia Simioni
  • Maria Gabriela JP Barbosa Gomes
  • Carolina Py de Castro

Resumo

O ambiente aquático favorece experiências em nível de intensificação das capacidades psicológicas, sensoriais, emocionais e comportamentais, oferecendo benefícios de restauração da sensação de independência, autoestima, diminuição da ansiedade e aprendizagem de novas habilidades. Tendo em vista que, o uso do setting aquático pela Terapia Ocupacional ainda é pouco explorado, necessita-se investigar as possíveis atuações do profissional, bem como, seus benefícios. Este estudo objetivou verificar as aquisições relacionadas às habilidades comportamentais, cognitivas e sociais, aspectos motores, sensoriais e funcionais, ludicidade e na realização das atividades de vida diária, de uma adolescente com Síndrome de Down e Autismo, associados, durante o tratamento de Terapia Ocupacional Aquática. Foi realizado um estudo de caso, utilizando a Ficha de Terapia Ocupacional Aquática do centro Universitário da serra Gaúcha- FSG como instrumento de avaliação e reavaliação. Realizou-se vinte atendimentos na piscina terapêutica da FSG, ocorrendo uma vez por semana, com duração de 40 minutos. Os resultados da pesquisa mostraram evoluções em todos os aspectos avaliados, predominando nas habilidades comportamentais e sensoriais relacionados à propriocepção. Conclui-se que a Terapia Ocupacional Aquática contribui no desenvolvimento de inúmeras habilidades, oferecendo uma intervenção lúdica e prazerosa durante seus atendimentos.
Publicado
2017-10-27