AVALIAÇÃO DA TOXICIDADE DO ARROIO GRAVATÁ-RS ATRAVÉS DO BIOENSAIO ALLIUM CEPA

  • Machelis Guerra Centro Universitário da Serra Gaúcha- FSG.
  • Gustavo Guzzon Centro Universitário da Serra Gaúcha- FSG.
  • Ellen Dal’ Lago Centro Universitário da Serra Gaúcha- FSG.
  • Júlia Dal Prá Centro Universitário da Serra Gaúcha- FSG.

Resumo

O munícipio de São Marcos, possui um sistema misto de coleta de esgotos e águas pluviais, sabendo que a poluição das águas é o problema ambiental mais sério do Brasil e que um dos principais problemas de saúde pública, a nível mundial, consiste nas doenças originadas de parasitas intestinais, contribuindo para elevadas taxas de morbidade e mortalidade. Fez-se necessário uma análise toxicológica e microbiológica do Arroio Gravatá, sendo este o maior receptor dos esgotos domésticos e efluentes industriais do município, mediante a isso o objetivo foi analisar a água através de bioensaios utilizando o bioindicador Allium cepa. Os resultados microbiológicos apresentaram a não potabilidade da água, presença de coliformes totais e Escherichia coli. Para avaliar a toxicidade foram feitos cálculos da média aritmética de crescimento das três maiores raízes de Allium cepa, tendo base o grupo controle que totalizou uma média de 2,44 cm de crescimento de suas raízes. A nascente 50% teve um crescimento de 3,12 cm, a nascente 100% teve um resultado de 3,02 cm. O curso médio 50% apresentou resultado de 2,10 cm, sendo significativo para toxicidade, já que, a média obtida é inferior ao grupo controle, o grupo curso médio com diluição 100% apresentou 2,48 cm de crescimento das raízes, também apresenta nível de toxicidade relevante. Diante do exposto fica evidente a desvantagem do sistema misto de coleta, que gera um grande problema ambiental e de saúde pública para os munícipes da cidade de São Marcos.
Publicado
2018-12-28
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Artigo Completo