AVALIAÇÃO DO BIOTIPO CORPORAL DE ATLETAS AMADORES DE UMA EQUIPE DE RUGBY DE CAXIAS DO SUL

  • Ana Lúcia Hoefel Centro Universitário da Serra Gaúcha
  • Nicole Laim
  • Joana Zanotti

Resumo

Introdução: O desempenho em esportes coletivos é vinculado às habilidades físicas e técnicas dos jogadores. O conjunto de características morfológicas ou o tipo físico é considerado como um dos principais requisitos determinantes para se atingirem valores superiores de desempenho atlético. O somatotipo é um indicador da forma, estrutura e composição do corpo humano O rugby originou-se em torno do ano de 1823 na Inglaterra, chegou ao Brasil no século XIX e, na atualidade tem ganhado grande popularidade. Em uma partida de rugby dois principais grupos de atletas se distinguem os: forwards e backwards. Os forwards necessitam de potência física, maior força e massa muscular, por causa de suas constantes participações no início da disputa pela bola e pelo maior impacto físico. Já os backs necessitam de maior velocidade e agilidade, possuindo um menor percentual de gordura corporal facilitando sua mais rápida mobilização na articulação de movimentos. A composição corporal tem suma importância e pode ser diferente dependendo da posição do jogador, o objetivo deste trabalho foi avaliar a composição corporal dos jogadores com relação ao biótipo e relacionar à sua posição no jogo. Metodologia: Este trabalho foi realizado utilizando-se dados coletados nas consultas de acompanhamento nutricional dos jogadores de um time de rugby da cidade de Caxias do Sul, os quais são acompanhados pela bolsista do projeto de extensão Nutrir com Saúde, Nutrição Esportiva, do Curso de Nutrição do Centro Universitário da Serra Gaúcha. Resultados e Discussão: Os avanços na fisiologia do exercício e na metodologia do treinamento desportivo têm proporcionado um aumento no interesse em descrever as características físicas de atletas. Neste estudo, optou-se por identificar o perfil somatotípico de atletas amadores de rugby. Nos atletas avaliados, observou-se predominância do biótipo mesomorfo nos jogadores backwards e predominância de mesoendomorfo nos forwards. Não é frequente a realização de estudos avaliando esse fator em atletas de rugby, o que torna esse estudo, inovador e com potencial, pois, conhecer o biótipo e poder relaciona-lo a posição do atleta numa partida é de suma importância podendo a partir dos resultados elabora planos de treinamento e alimentares a fim de potencializar os resultados na quadra.

Publicado
2018-12-28
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido