CORRELAÇÃO ENTRE O ÍNDICE DE MASSA CORPORAL, PERÍMETRO DA PANTURRILHA E A FORÇA DE PRESSÃO PALMAR EM PACIENTES ONCOLÓGICOS DE UM HOSPITAL DE CAXIAS DO SUL/RS.

  • Joana Zanotti FSG Centro Universitário
  • Gisele Mazzochi FSG Centro Universitário
  • Larissa Machado FSG Centro Universitário
  • Leonardo Pozza FSG Centro Universitário
  • Ana Lucia Hoefel FSG Centro Universitário

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O câncer é uma doença que ocorre por diversos fatores de risco como: genéticos, ambientais, culturais, tabagismo, má alimentação, estilo de vida e o próprio processo de envelhecimento (BRAY et al.; 2012). Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos 8,8 milhões de pessoas morrem de câncer, sendo hoje a segunda causa de morte por doença nos países desenvolvidos (WHO, 2018). A presença de câncer altera todos os aspectos da vida do indivíduo, acarretando profundas alterações no modo de viver habitual, comprometimento da capacidade e habilidade para o desenvolvimento de rotina (MICHELONE, 2004). Para o nutricionista avaliar a desnutrição em pacientes com câncer, utiliza-se o Índice de Massa Corporal (IMC) e o perímetro da panturrilha (PP) (IKEMORI et al., 2003). Atualmente, o teste de Força de Preensão Palmar (FPP) também tem sido utilizado para avaliar a força muscular global, como auxiliar na avaliação nutricional. O conhecimento da correlação entre o estado nutricional e a FPP poderá direcionar novas estratégias de melhoras da qualidade de vida nos pacientes oncológicos, direcionando a novas estratégias nutricionais. O objetivo deste artigo, foi verificar a correlação entre o IMC, PP e FPP em pacientes oncológicos de um Hospital escola de Caxias do Sul/RS. MATERIAL E MÉTODOS: O presente estudo caracteriza-se transversal extensionista, realizado com pacientes oncológicos de um hospital escola de Caxias do Sul/RS. Realizou-se a aferição do PP, realizada na perna direita, com uma fita métrica inelástica, na sua parte mais protuberante de cada paciente, os valores de referência utilizados para o sexo feminino inadequado ≤ 33 cm, e para o sexo masculino ≤ 34cm. Para a avaliação da FPP, utilizou-se o dinamômetro manual hidráulico da marca Saehan®, utilizando-se os valores de referência para o sexo feminino inadequado <20kg e para o sexo masculino <30kg. RESULTADOS: Foram avaliados no total 80 pacientes, sexo masculino representado 48,8% e feminino 51,2%. Dentre eles 41,3% foram classificados como adultos e 58,8% classificados como idosos, com idade superior a 60 anos. Segundo a classificação do IMC dos adultos, 9,1% classificados com desnutrição, 45,5% foram classificados como eutróficos, 36,4% classificados com sobrepeso, 6,1% classificado com obesidade grau I, 3% classificado com obesidade grau II. Já para idosos, 25,5% classificado com desnutrição, 42,6% foram classificados como eutróficos, 31,9% classificados com excesso de peso. Dentre as classificações pelos tipos de câncer 18,8% foram diagnosticados com câncer hematológico, 10% câncer de mama, 33,8% com câncer do trato gastrointestinal, 6,3% com câncer de próstata, 25% com câncer renal, bexiga, pulmão e SNC. A classificação de FPP 73,7% dos homens apresentaram-se com baixa força, 37,5% das mulheres. Na classificação da PP 41% dos homens e 43,6% das mulheres, apresentaram-se com baixa reserva muscular.  Observou-se correlação significativa (p<0,05) para a correlação FPP e PP (p = 0,034). DISCUSSÕES: Encontrou-se resultados semelhantes em um estudo transversal de Martin, 2012, realizado com idosos que contava com 42 indivíduos, no qual a maioria dos indivíduos eram eutróficos segundo o IMC (46,4%), sendo que os homens apresentaram maior força de preensão palmar, se comparados às mulheres, tanto para a mão direita quanto para a esquerda. CONCLUSÃO: Concluiu-se neste estudo que, embora a amostra tenha maior prevalência de indivíduos com excesso de peso, há perda de massa magra e de força também significativas entre os pacientes. Evidencia-se desta forma que a doença e a idade contribuem para perda de funcionalidade, portanto, a avaliação nutricional deve ser baseada em métodos variados para um diagnóstico mais preciso.

Biografia do Autor

Joana Zanotti, FSG Centro Universitário
Docente do Curso de Nutrição
Gisele Mazzochi, FSG Centro Universitário
Graduando em Nutrição
Larissa Machado, FSG Centro Universitário
Graduando em Nutrição
Leonardo Pozza, FSG Centro Universitário
Graduando em Nutrição
Ana Lucia Hoefel, FSG Centro Universitário
Docente do Curso de Nutrição
Publicado
2018-12-28