PERFIL NUTRICIONAL E RISCO CARVIOVASCULAR DE PACIENTES ATENDIDOS EM UM AMBULATÓRIO DE NUTRIÇÃO.

  • Joana Zanotti FSG Centro Universitário
  • Nicole Lain FSG Centro Universitário
  • Ana Lúcia Hoefel FSG Centro Universitário

Resumo

INTRODUÇÃO: A obesidade é definida como um anormal ou excessivo acúmulo de gordura que pode representar riscos para a saúde. Este excesso de tecido adiposo, quando armazenado na região abdominal é chamado de obesidade central, sendo considerado, hoje em dia, um problema de saúde pública, pois este acúmulo de gordura está relacionado ao risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares. (VELASCO, 2007). O Ministério da Saúde divulgou em 23 de dezembro de 2017 uma estimativa de que 18,9% dos brasileiros estavam obesos, isso significa que, uma em cada cinco pessoas no país, está acima do peso.  Estima que hoje 50% da população brasileira encontra-se acima do peso (ABESO, 2018). A Organização Mundial da Saúde (OMS) considera o Índice de Massa Corporal (IMC) igual ou maior a 25Kg/m² como sobrepeso e maior ou igual a 30Kg/m² como obesidade, esses valores estão diretamente relacionados com as doenças crônicas não transmissíveis (WHO, 2000). Portanto, o objetivo deste trabalho é descrever o perfil nutricional e verificar a prevalência de pacientes com risco cardiovascular (RCV) dos pacientes atendidos por um ambulatório de nutrição, de um Centro Universitário da Serra Gaúcha. FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O surgimento de programas governamentais que promovem a saúde e prevenção de doenças cardiovasculares e obesidade da população tem ganhado espaço, bem como o incentivo à prática de atividade física, abandono do tabagismo e educação nutricional da população, entretanto, para atingir os objetivos estabelecidos, como redução de peso e dos níveis de pressão arterial são necessários maiores esforços (REZENDE, 2006). Apesar de ser um diagnóstico complexo, está claro que a obesidade ou o excesso de peso traz uma maior incidência para RCV e outras complicações metabólicas, visto que a obesidade e principalmente o acúmulo de gordura abdominal tem uma importante associação com alterações metabólicas, níveis elevados de triglicérides e reduzidos de HDL, apresentando maior impacto sobre a elevação da pressão arterial (CARNEIRO et al., 2003). MATERIAL E MÉTODOS: O presente trabalho faz parte de uma atividade extensionista, com amostra obtida por conveniência, tendo como participantes prontuários de indivíduos atendidos em um ambulatório de nutrição de um Centro Universitário da Serra Gaúcha/RS. Foram avaliadas as medidas de peso e estatura para cálculo do IMC (peso/estatura2), perímetro da cintura (PC) e quadril para cálculo da razão cintura-quadril (RCQ). Considerou-se RCV para os pacientes adultos com IMC ≥ 25,0kg/m2 e idosos IMC ≥ 27,0Kg/m2. Em relação a RCQ, classificou-se como risco, mulheres com RCQ >0,85cm e PC ≥ 80,0cm e homens com RCQ >1,0cm e PC ≥94cm. RESULTADOS E DISCUSSÕES: No total foram avaliados 43 prontuários, destes 21 de pacientes do sexo feminino, e apresentando o total da amostra, com idade média de 39,9 anos. Observou-se que a maior prevalência foi de 58% (n=25) de sobrepeso pelo IMC, 48,8% (n=21) com RCV segundo o PC e apenas 2,6% (n=6) com RCQ conforme RCQ. As medidas antropométricas compõem partes fundamentais na avaliação do estado nutricional, entre elas a circunferência abdominal tem sido vastamente usada na prática clínica como indicador simples de obesidade central, estes indicadores retratam adiposidade visceral, que por sua vez é fator de risco para distúrbios metabólicos. (DEPRE’S et al., 2012). CONCLUSÃO: Este estudo demonstrou que a maioria dos pacientes que procuraram atendimento ambulatorial encontram-se com sobrepeso e consequentemente com RCV. Alguns fatores de risco, como sedentarismo, sobrepeso/obesidade, distribuição central da gordura corporal, são sinais da necessidade de acompanhamento nutricional para a redução dos riscos e melhora da qualidade de vida da população. Ressalta-se a importância da combinação de vários métodos de avaliação nutricional visto que, os diferentes métodos aplicados resultaram em diferentes diagnósticos.

Biografia do Autor

Joana Zanotti, FSG Centro Universitário
Docente do Curso de Nutrição, FSG Centro Universitário.
Nicole Lain, FSG Centro Universitário
Graduando em Nutrição, FSG Centro Universitário
Ana Lúcia Hoefel, FSG Centro Universitário
Docente do Curso de Nutrição, FSG Centro Universitário.
Publicado
2019-01-03
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido