ANÁLISE DOS INDICADORES RELACIONADOS À COLETA SELETIVA PARA OS MUNICÍPIOS INTEGRANTES DA REGIÃO COREDE-SERRA

  • Gabriela Cavion Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG
  • Amanda Brisotto Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG
  • Janice Botelho Souza Hamm Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG
  • Raquel Finkler Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG

Resumo

Os resíduos sólidos hoje são utilizados, transformados e descartados pelo homem, e após, parte destes retornam ao seu ciclo produtivo. Se não forem adequadamente geridos, estes resíduos podem provocar diversos problemas, tanto para o meio ambiente quanto para a sociedade. Entre as alternativas para um manejo de resíduos sólidos urbanos adequado está a adoção da coleta seletiva, a qual se caracteriza por um processo que consiste na separação e no recolhimento de resíduos visando a reciclagem. Estes resíduos podem ser materiais reciclados (papel, metais, plásticos, vidros) e orgânicos (biodegradáveis). A coleta seletiva integra um sistema de gerenciamento de resíduos e contribui para a sustentabilidade sócio-econômica-ambiental; promove a economia de recursos e insumo, o reuso de materiais, a ampliação da cadeia de reciclagem, a educação para consumo consciente e a inclusão social de catadores. Este artigo visa avaliar o desempenho quanto a aspectos relacionados à coleta seletiva de 32 Municípios que compõe o COREDE-Serra. Este desempenho foi feito através da coleta e sistematização de dois indicadores de desempenho e uma informação, relacionados à coleta seletiva, disponibilizados no site do SNIS (Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento) correspondem ao período de 2014 a 2016. Percebeu-se, pelos dados, a carência de informações para municípios com porte menor do que 5.000 habitantes e elevada incidência de serviços de coleta seletiva para a região do COREDE-Serra.
Publicado
2019-01-04
Seção
Arquitetura, Design e Engenharias - Artigo Completo