Vitaminas A, E e curcumina antioxidantes naturais

  • Maria Fernanda Manica-Cattani Centro Universitário FSG
  • Ana Paula de Lima

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O frequente consumo de alimentos antioxidantes está associado com a baixa incidência de doenças degenerativas incluindo o câncer, doenças cardiovasculares, inflamações, artrites, declínio do sistema imune, disfunção cerebral, diabetes, mal de Alzheimer e alguns tipos de catarata (ABDILLE et al, 2005; HE et al, 2007). A definição de antioxidante é “qualquer substância que, presente em baixas concentrações quando comparada a do substrato oxidável, atrasa ou inibe a oxidação deste substrato de maneira eficaz” (Sies & Stahl, 1995). Assim, certos nutrientes e componentes alimentares têm se destacado em função de sua atividade antioxidante, ou seja, com capacidade de transformar e/ou diminuir a ação de oxidação dos radicais livres, impedindo seus efeitos danosos ao organismo. (TURECK et al, 2017). Neste sentido o objetivo do trabalho foi de realizar uma pequena revisão bibliográfica sobre os antioxidantes vitamina C, vitamina E, Cúrcuma (açafrão) e seus benefícios para a saúde, uma vez que estes são comumente utilizados no nosso cotidiano. MATERIAL E MÉTODOS: Para esse trabalho foram selecionados artigos científcos, por meio de sites de busca SCIELO e PUBMED. Foram utilizadas as palavras Antioxidante, Dieta Alimentar, Radicais Livres, Estresse Oxidativo e Vitamina nos idiomas português e inglês. Foi dado preferência para artigos originais e de ensaio clínico, e não foi estabelecido um ano limite de publicação. RESULTADOS E DISCUSSÕES:  Vitamina C (ácido ascórbico): é considerada o antioxidante hidrossolúvel mais importante no organismo, com a capacidade de eliminar diferentes espécies de radicais livres (superóxido e hidroxil) mantendo a integridade das células dos organismos aeróbios (KAUER et al, 2001; NAIDU, 2003). Mais de 85% da vitamina C é proporcionada por frutas e hortaliças, principalmente as frutas cítricas (CANO, 2008). Entre as principais funções biológicas podemos citar aumento nas funções de defesa do organismo, ação bactericida (Iqbal et al, 2004); prevenção de mutações em DNA pela ação antioxidante (LUTSENKO et al, 2002), formação do colágeno (COSTA, 2008). Vitamina E (tocoferol): é a principal vitamina lipossolúvel, encontrada em proporções variáveis em plantas, sendo que as fontes principais são óleos vegetais, germe de trigo, sementes oleaginosas, vegetais folhosos verde-escuros e alimentos de origem animal, principalmente gema de ovo e fígado. (HONARBAKHSH, et al, 2009). A vit. E é um agente antioxidante que protege os lipídios da membrana das células.  Estudos epidemiológicos sugerem que a vitamina E desempenha papel protetor em doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer, além de estar associado a longevidade (NWOSE, et al, 2008). A curcumina é um pigmento amarelo, caracterizado como principal componente ativo obtido do rizoma seco da planta Curcuma Longa, uma raiz pertencente à família do gengibre (ARABBI, 2001). Popularmente conhecida no Brasil como açafrão-da-terra, gengibre amarelo e açafrão-da-Índia, é reconhecida cientificamente como alimento funcional. A curcumina contém os curcuminóides, que atuam nas vias inflamatórias e antioxidantes. Além de relevante atividade neuroprotetora e antiproliferativa e tratamento para artrite reumatoide (AGGARWALL; HARIKUMAR, 2008). CONCLUSÃO: Concluímos que a inclusão na dieta diária de alimentos ricos antioxidantes como vitamina C, vitamina E e a curcumina podemos atenuar os efeitos nocivos do envelhecimento precoce e, prevenir determinadas doenças.INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O frequente consumo de alimentos antioxidantes está associado com a baixa incidência de doenças degenerativas incluindo o câncer, doenças cardiovasculares, inflamações, artrites, declínio do sistema imune, disfunção cerebral, diabetes, mal de Alzheimer e alguns tipos de catarata (ABDILLE et al, 2005; HE et al, 2007). A definição de antioxidante é “qualquer substância que, presente em baixas concentrações quando comparada a do substrato oxidável, atrasa ou inibe a oxidação deste substrato de maneira eficaz” (Sies & Stahl, 1995). Assim, certos nutrientes e componentes alimentares têm se destacado em função de sua atividade antioxidante, ou seja, com capacidade de transformar e/ou diminuir a ação de oxidação dos radicais livres, impedindo seus efeitos danosos ao organismo. (TURECK et al, 2017). Neste sentido o objetivo do trabalho foi de realizar uma pequena revisão bibliográfica sobre os antioxidantes vitamina C, vitamina E, Cúrcuma (açafrão) e seus benefícios para a saúde, uma vez que estes são comumente utilizados no nosso cotidiano. MATERIAL E MÉTODOS: Para esse trabalho foram selecionados artigos científcos, por meio de sites de busca SCIELO e PUBMED. Foram utilizadas as palavras Antioxidante, Dieta Alimentar, Radicais Livres, Estresse Oxidativo e Vitamina nos idiomas português e inglês. Foi dado preferência para artigos originais e de ensaio clínico, e não foi estabelecido um ano limite de publicação. RESULTADOS E DISCUSSÕES:  Vitamina C (ácido ascórbico): é considerada o antioxidante hidrossolúvel mais importante no organismo, com a capacidade de eliminar diferentes espécies de radicais livres (superóxido e hidroxil) mantendo a integridade das células dos organismos aeróbios (KAUER et al, 2001; NAIDU, 2003). Mais de 85% da vitamina C é proporcionada por frutas e hortaliças, principalmente as frutas cítricas (CANO, 2008). Entre as principais funções biológicas podemos citar aumento nas funções de defesa do organismo, ação bactericida (Iqbal et al, 2004); prevenção de mutações em DNA pela ação antioxidante (LUTSENKO et al, 2002), formação do colágeno (COSTA, 2008). Vitamina E (tocoferol): é a principal vitamina lipossolúvel, encontrada em proporções variáveis em plantas, sendo que as fontes principais são óleos vegetais, germe de trigo, sementes oleaginosas, vegetais folhosos verde-escuros e alimentos de origem animal, principalmente gema de ovo e fígado. (HONARBAKHSH, et al, 2009). A vit. E é um agente antioxidante que protege os lipídios da membrana das células.  Estudos epidemiológicos sugerem que a vitamina E desempenha papel protetor em doenças cardiovasculares e alguns tipos de câncer, além de estar associado a longevidade (NWOSE, et al, 2008). A curcumina é um pigmento amarelo, caracterizado como principal componente ativo obtido do rizoma seco da planta Curcuma Longa, uma raiz pertencente à família do gengibre (ARABBI, 2001). Popularmente conhecida no Brasil como açafrão-da-terra, gengibre amarelo e açafrão-da-Índia, é reconhecida cientificamente como alimento funcional. A curcumina contém os curcuminóides, que atuam nas vias inflamatórias e antioxidantes. Além de relevante atividade neuroprotetora e antiproliferativa e tratamento para artrite reumatoide (AGGARWALL; HARIKUMAR, 2008). CONCLUSÃO: Concluímos que a inclusão na dieta diária de alimentos ricos antioxidantes como vitamina C, vitamina E e a curcumina podemos atenuar os efeitos nocivos do envelhecimento precoce e, prevenir determinadas doenças.REFERÊNCIAS

ABDILLE, M. H.; SINGH, R. P.; JAYAPRAKASHA, G. K.; JENA, B. S. Antioxidant activity of the extracts from Dillenia indica fruits. Food Chemistry, v. 90, n. 4, p. 891-896, 2005.

 

AGGARWAL, B.B.; HARIKUMAR, K.B. Potential therapeutic effects of curcumin, the anti-inflammatory agent, against neurodegenerative, cardiovascular, pulmonary, metabolic, autoimmune and neoplastic diseases. International Journal of Biochemistry and Cell Biology, Exeter, v.41, p.1-8, 2012.

 

ARABBI, P. R. Alimentos Funcionais: aspectos gerais. Revista Nutrire.  São Paulo. V. 21. 2001.

 

Cano A, Medina A, Bermejo A. Bioactive compounds in different citrus varieties. Discrimination among cultivars. Journal of Food Composition and Analysis. v.21, n.5, p.377-81, 2008.

 

COSTA, N. M. B. Nutrição Básica e Metabolismo. Ed. UFV Viçosa – MG, 2008.

 

HE, F.; NOWSON, C.; LUCAS, M.; MACGREGOR,G. Increased consumption of fruit and vegetables is related to a reduced risk of coronary heart disease: Metaanalysis of cohort studies. Journal of Human Hypertension, v. 21, n. 9, p. 717-782, 2007.

 

Iqbal, K.; Khan, A.; Khattak, M. A. K. Biological significance of ascorbic acid (vitamin c) in human health – a review. Pakistan Journal of Nutrition, v. 3, n. 1, p. 5-13, 2004.

 

KAUER, C.; KAPOOR, H. C. Antioxidants in fruits and vegetables – the millennium’s health. International Journal of Food Science and Technology, v. 36, n. 7, p. 703-725, 2001.

 

LUTSENKO, E. A.; CÁRCAMO, J. M.; GOLDEN, D. W. Vitamin C Prevents DNA Mutation Induced by Oxidative Stress. The Journal of Biological Chemistry, v. 277, n. 19, p. 16.895-16.899, 2002.

 

NAIDU, K. A. Vitamin C in human health and disease is still a mystery? An overview. Journal of Nutrition, v. 2, n. 7, p. 7–16, 2003.

 

SIES, H., STAHL, W. Vitamins E anda C, β-carotene, and other carotenoids as antioxidants. American Journal of Clinical Nutrition, Bethesda, v.62, n.6, p.1315-1321, 1995.

 

TureckI, C.; LocateliI, g.; CorrêaII, v. g.; KoehnleinI, e. a. Avaliação da ingestão de nutrientes antioxidantes pela população brasileira e sua relação com o estado nutricional.Revista Brasileira de Epidemiologia. v.20, n.1, p.30-42, 2017.

Publicado
2019-01-04