PERFIL NUTRICIONAL DE PACIENTES ATENDIDOS DURANTE UM ESTÁGIO REALIZADO EM UM HOSPITAL DE CAXIAS DO SUL/RS

  • Ana Rita Zamberlan FSG Centro Universitário
  • Greice Muller FSG Centro Universitário
  • Josiane Depcke FSG Centro Universitário
  • Joana Zanotti FSG

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: De acordo com a Organização Mundial de Saúde a desnutrição é um tipo de má nutrição, caracterizada pela ingestão inadequada de macros e micronutrientes. Em indivíduos hospitalizados é caracterizada com a diminuição do tecido adiposo e muscular, a hipoproteinemia, o excesso de água extracelular e o déficit de potássio, os quais interferem na resposta do paciente ao tratamento, além do seu estado clínico (PAULA et al., 2018). A triagem nutricional é o procedimento que procura identificar pacientes que estão desnutridos            ou em risco de desenvolver desnutrição, busca fatores de risco que podem levar o paciente ao                risco de desnutrição e assim, apresentar estratégias para minimizá-los (AMARRO et al.,2016).             A Avaliação Subjetiva Global (ASG) é uma ferramenta utilizada em situações clínicas com             intuito de identificar grupos de pacientes com algum risco nutricional, é um método científico              para uso clínico em forma de questionário Este método é simples, de baixo custo e pode ser                 realizado em poucos minutos à beira do leito (AZEVEDO et at., 2016). A identificação do               perfil nutricional de pacientes hospitalizados possibilita o conhecimento da realidade do local            onde são admitidos e tratados, refletindo numa intervenção dietoterápica adequada a cada caso (SILVA et al., 2016). Um estudo de Garcia (2006) mostrou que ​48,1% dos pacientes internam com desnutrição e que existe uma progressão desse quadro chegando a 61,0% quando a permanência no hospital foi maior que 15 dias, gerando maiores custos hospitalares (MIDDLETON et al., 2009). Por este motivo, este trabalho tem como objetivo investigar o perfil nutricional de pacientes atendidos durante o estágio de nutrição clínica em um hospital de Caxias do Sul/RS. MATERIAL E MÉTODOS: Para este estudo foram analisados 121 prontuários de pacientes que passaram por triagem nutricional e foram detectados com Risco Nutricional, em seguida passaram por avaliação nutricional e obtiveram pelo menos um atendimento para acompanhamento do estado nutricional. Foram selecionados todos os prontuários dos atendimentos realizados pelos autores do estudo durante o período de estágio em um hospital de Caxias do Sul/RS. As informações coletadas dos prontuários foram o sexo, a idade, o nível de assistência nutricional (NA), o motivo da internação, o estado nutricional segundo a avaliação subjetiva global (ASG), o número de dias que permaneceu internado e o desfecho deste paciente. Os dados foram tabulados em planilha de excel e os resultados apresentados de forma descritiva. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Dos prontuários analisados 72 (59,5%) pacientes eram do sexo masculino e 49 (40,5%) do sexo feminino. A idade média dos pacientes foi de 64anos. O nível de assistência nutricional de 61 (50,4%) era primária, ou seja, tinham acompanhamento nutricional 2 vezes por semana, 45 (37,2%) era secundária, com acompanhamento nutricional 3 vezes por semana e 15 (12,4%) era terciária, com acompanhamento nutricional 5 vezes por semana. Em relação aos motivos de internação 44 (36,4%) dos pacientes foram internados por câncer, 24 (19,8%) por motivo cardiovascular, 17 (14%) por doenças traumatológicas, 12 (9,9%) por problemas respiratórios, 3(2,5%) por doenças renais, 18 (14,9%) foram classificados como outras patologias e apenas 1 (0,8%) não teve diagnóstico antes do desfecho. Em relação ao estado nutricional inicial desses pacientes, 15 (12,4%) eram desnutridos graves, 16 (13,2%) eram desnutridos moderados, 27(22,3%) eram desnutridos leves, 43 (35,5%) eram bem nutridos, 16 (13,2%) eram sobrepeso e apenas 4 (3,3%) eram obesos. Em média, esses pacientes permaneceram internados 23 dias. Em relação ao desfecho desses pacientes, 12 (9,9%) permaneceram em acompanhamento até o momento da coleta de dados, 96 (79,3%) receberam alta, 4 (3,3%) foram transferidos para a UTI e 10 (8,3%) foram a óbito. CONCLUSÃO: Analisando os pacientes atendidos, observa-se o           predomínio de idosos e do sexo masculino. As classificações nutricionais com maior incidência foram bem nutridos, no entanto se contabilizarmos todos os graus de desnutrição encontramos aproximadamente 60% dos pacientes nesta condição. Além disso, encontrou-se o câncer como sendo o principal motivo de internação. Considerando que a meta em um paciente hospitalizado é a melhora do estado clínico e consequentemente a alta hospitalar, houve um desfecho satisfatório, pois mais de 79% dos pacientes receberam alta após um período de internação médio de 23 dias. 

Biografia do Autor

Joana Zanotti, FSG
Nutricionista. Especialista em Clínica e Terapêutica Nutricional. Mestra em Ciências Médicas
Publicado
2020-02-20