APROVEITAMENTO INTEGRAL DE ALIMENTOS

IMPORTÂNCIA E CONSCIENTIZAÇÃO

  • Eliane Fatima de Oliveira
  • Lisiane Daniela Paim
  • Priscila Soares Fagundes
  • Fernanda Bissigo Pereira Centro Universitário da Serra Gaúcha

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: O Brasil é um país rico na produção de cereais, grãos, frutas e legumes, na mesma proporção que desperdiça grande parte dessa riqueza na colheita, manuseio, transporte e quando chegam finalmente no consumidor final, esse por erros na hora da compra e na conservação, contribuindo para que grande parte dessa colheita vire lixo. Segundo dados da Nações Unidas Brasil (2017), 30% de toda comida produzida no mundo vai parar no lixo e conforme dados da EMBRAPA (2018), o desperdício de alimentos per capta é de 41,6 kg/ano. Temos então um paradoxo: de um lado produzimos e exportamos toneladas de alimentos, por outro lado muitas pessoas passam fome e não tem acesso a uma alimentação de verdade que ofereça o aporte nutricional adequado para seu bem-estar e saúde. Segundo a ONU (2018), cerca de 5,2 milhões de brasileiros passam fome. Sendo assim, aproveitamento integral dos alimentos é uma prática sustentável e ecológica que traz benefícios tanto nutricionais como econômicos, pois permite a redução de custos com a alimentação do indivíduo e sua família e promove a diversidade nos hábitos alimentares elevando sua qualidade nutricional. As folhas, talos e cascas, normalmente descartadas, podem ser muitas vezes mais saborosas e ricas em nutrientes dos que as partes usualmente consumidas nas preparações culinárias por apresentarem mais fibras, potássio, magnésio e cálcio que estão mais concentrados em suas cascas do que na sua polpa. Folhas de cenoura e beterraba, por exemplo, são ricas em micronutrientes e podem transformar-se em refogados, molhos, saladas, contribuindo para a diminuição da monotonia alimentar, que traz prejuízos no bem-estar e saúde da população. Desta forma, o objetivo do presente trabalho é esclarecer e informar os benefícios do uso integral dos alimentos nas preparações culinárias, salientando seu sabor, textura e novas experiências sensoriais. MATERIAL E MÉTODOS: Para a realização da atividade prática foram elaboradas três preparações culinárias que continham partes de alimentos que normalmente são descartados, como, por exemplo, a casca da banana. Foi selecionada uma receita doce (brigadeiro de casca de banana), uma salgada (mufin de legumes) e uma líquida (chá de cascas). As preparações foram oferecidas para degustação pelos alunos do curso de nutrição da disciplina de Técnica Dietética I no dia 22/04/2019. Na dinâmica, os participantes tinham que responder três questionamentos: se já utilizavam algum alimento integralmente, citando quais, no caso de resposta afirmativa. Também foi solicitado que os participantes tentassem adivinhar o que havia dentro da preparação, pois as receitas foram disponibilizadas somente depois que a degustação foi finalizada. Por fim, os participantes foram indagados quanto a sete critérios de aceitação apresentados sob a forma de uma escala hedônica correspondente a três reações (satisfatória, regular ou ruim). Os aspectos avaliados pelos participantes foram: apresentação, cor, sabor, odor, consistência, características nutricionais. Também foram citados projetos de grande relevância nacional que buscam popularizar e conscientizar a população sobre o aproveitamento integral de alimentos, como, por exemplo, o projeto Mesa Brasil SESC, Favela Orgânica, Fruta Imperfeita, SemDesperdicio.org, aplicativo Food Keeper e o Banco de Alimentos. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Trinta e dois alunos participaram da pesquisa. Quanto ao questionamento se já utilizavam algum alimento integralmente, 16 alunos (50%) disseram já realizar essa prática. Quanto aos aspectos sensoriais (apresentação, cor, sabor, odor, consistência e características nutricionais) das preparações oferecidas, houve maiores percentuais de reação satisfatória em todos os quesitos. Quanto aos alimentos que os participantes consideraram estarem presentes nas preparações, a folha mais citada foi da cenoura, a casca da banana, o talo da couve-flor, a entrecasca do melão e a semente da abóbora. Storck (2013) recomenda a utilização de partes de alimentos em preparações culinárias a fim de enriquecê-las e também como forma de incentivar a sua utilização. As partes dos alimentos que normalmente são descartadas, como talos, cascas e sementes, possuem um bom aporte de fibras e macronutrientes (STORCK, 2013). CONCLUSÃO: A intervenção foi importante pois levou informações claras, objetivas e adequadas a um grupo de alunos, ajudou a difundir os benefícios do aproveitamento integral de alimento tanto sob o ponto de vista nutricional quanto da sustentabilidade ambiental.
Publicado
2020-02-18
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido