ÚLCERA CORNEANA INDOLENTE EM UM CÃO DA RAÇA SHIH TZU

  • Teiffny De Castilhos FSG
  • Eriniele Carmo Centro universitário FSG
  • Itainara Benetti
  • Brenda Segala
  • Bruna Copat

Resumo

A úlcera indolente corresponde a uma erosão da camada epitelial da córnea que não responde adequadamente ao tratamento clínico (LEDBETTER; GILGER, 2013). Estudos sugerem a predisposição a cães de meia idade, sendo os machos os mais diagnosticados (GELATT, 2003). Os sinais clínicos observados incluem blefarospasmo, lacrimejamento, secreção, fotofobia e dor ocular. O diagnóstico ocorre por meio de exame clínico com foco de luz e magnetização. Para avaliar a integridade da córnea deve-se aplicar o colírio de fluoresceína 1% (HVENEGAARD et al., 2010). O tratamento preconizado é a ceratotomia em grade e o uso de colírios, a fim de auxiliar na cicatrização (VIANA, 2013). Diante da peculiaridade da doença, visto tratar-se de uma úlcera superficial de resolução cirúrgica, o objetivo do relato é descrever um caso de úlcera indolente em um cão, proporcionando melhor entendimento sobre a patologia.

Publicado
2020-02-19
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido