PERFIL ACADÊMICO DE UNIVERSITÁRIOS EM EDUCAÇÃO FÍSICA DE UM CENTRO UNIVERSITÁRIO DA REGIÃO SUL DO BRASIL

  • Douglas De Oliveira Centro Universitário da Serra Gaúcha-FSG
  • Guilherme Duarte Rech
  • Cristian Roncada

Resumo

Introdução: A pratica de atividades físicas regulares é um importante agente não farmacológico, servindo como coadjuvante na prevenção, tratamento e controle de doenças não transmissíveis. Objetivo: Avaliar o nível de atividade física (AF) entre os universitários do Rio Grande do Sul e seus prováveis fatores relacionados. Métodos: A amostra foi constituída por acadêmicos universitários regularmente matriculados em uma instituição de ensino superior do Rio Grande do Sul, no segundo semestre letivo de 2018. Os níveis de AF foram avaliados por meio do Questionário internacional de Atividade Física (IPAQ) versão curta, e para os demais dados foi utilizado um questionário sociodemográfico. Os universitários foram divididos em dois grupos, o grupo A foi constituído de estudantes que atuam em estágios não obrigatórios e grupo B estudantes que não atuam em estágios. Para a análise dos dados foi realizada uma estatística descritiva e para fins de comparação entre grupos A e B, as comparações foram aplicadas por meio do teste T independente ou qui-quadrado com nível de significância de 5%. Resultados: Participaram do estudo 125 universitários (74 homens, 59,2%) e idade média de 24,3±5,5 anos. Os resultados indicaram que 11% dos acadêmicos possuem níveis baixos de AF (Sedentários), tendo diferenças entre grupo A e B nas variáveis modalidades de AF, tempo de tela e motivos para realizar AF. Conclusão: Conclui-se que estudantes de Educação Física possuem níveis baixos de sedentarismo e existe uma correlação entre volume vs. intensidade nos somatórios do tempo médio semanal e os níveis de intensidade, conforme padronização do IPAQ.

Publicado
2020-02-17
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Artigo Completo