ANÁLISE DA PERDA DE PESO EM PACIENTES HOSPITALIZADOS COM CÂNCER DE CABEÇA E PESCOÇO EM CAXIAS DO SUL-RS

  • Marina Della Giustina FSG Centro Universitário
  • Marília Rossi Chagas
  • Roziane Vicenzi Fortes FSG Centro Universitário
  • Eduarda Camargo Finger
  • Joana Zanotti FSG

Resumo

INTRODUÇÃO: A perda de peso e a desnutrição são complicações relacionadas às doenças oncológicas, consideradas importantes fatores para a piora no prognóstico e menor qualidade de vida do paciente (INCA, 2018). Dentre os cânceres de cabeça e pescoço, as neoplasias mais frequentes são de cavidade oral, orofaringe e laringe (PARDO; CENDALES, 2015; TRIANA et al., 2017). Na literatura, em cerca de 75% dos casos, associa-se a desnutrição no câncer à fatores histológicos, estágio da doença e terapia instituída (SANTOS et al., 2014). Dessa forma, os cuidados médicos e nutricionais tornam-se necessários para contribuir com a manutenção da terapia antineoplásica, assim como com a manutenção do peso e a hidratação do indivíduo (INCA, 2018). O correto consumo alimentar tem apresentado efeito direto em diversas patologias, melhorando a composição corporal e minimizando os riscos para o desenvolvimento de doenças crônicas não transmissíveis (ORTEGA; CARDEMIL, 2017; IARC, 2014; TAPIA et al., 2017). Este estudo teve como principal objetivo observar a perda de peso em pacientes com câncer de cabeça e pescoço em um hospital do município de Caxias do Sul/RS. METODOLOGIA: Trata-se de um estudo epidemiológico observacional, com delineamento transversal, no qual analisou-se Avaliações Subjetivas Globais Produzidas pelo Próprio Paciente (ASG – PPP), realizadas no período de 2016 e 2017 por acadêmicos de nutrição, integrantes do Serviço de Nutrição Clínica em um Hospital Escola de Caxias do Sul. Foram selecionadas para análise, as avaliações referentes aos indivíduos com câncer de cabeça e pescoço, com idade ≥ 19 anos. O presente estudo foi aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa de ambas as instituições envolvidas (2.726.138; 2.571.056). RESULTADOS: Foram analisadas um total de 12 ASG-PPP de pacientes com câncer de cabeça e pescoço, maiores de idade. Observou-se média de idade de 63 anos, sendo que 83% dos participantes eram do sexo masculino. O IMC médio permaneceu em 23,5kg/m², levando-se em consideração o peso atual médio de 65kg. Visto que a desnutrição pode ser fator determinante na intervenção do paciente, observou-se neste estudo os percentuais de perda de peso dos indivíduos entrevistados num período de 6 meses. Os resultados demonstram que 25% não sofreram alterações de peso, 34% perderam até 5% de peso, 25% perderam entre 6-10% de peso, 8% perderam de 11-15% de peso e 8% dos participantes perderam >15% do peso corporal. Ao avaliar as ASG-PPP, observou-se que 58% dos indivíduos classificaram-se como bem nutridos, 34% desnutridos moderados e 8% desnutridos graves. A avaliação do estado nutricional do paciente oncológico, pré ou pós-operatório, deve ser prioridade no plano terapêutico, com o objetivo de auxiliar na determinação do risco cirúrgico, na seleção dos pacientes candidatos ao suporte nutricional e na identificação dos pacientes desnutridos. Detectar precocemente as alterações nutricionais permite intervenção em momento oportuno. CONCLUSÃO: Conclui-se que o câncer de cabeça e pescoço está intimamente ligado com a desnutrição e a perda de peso, sendo que 75% dos indivíduos avaliados apresentou algum grau de perda de peso em 6 meses. Desta forma, o câncer é uma doença que deve ser tratada por equipes multidisciplinares em busca de resultados nutricionais positivos e melhor qualidade de vida.

Biografia do Autor

Joana Zanotti, FSG
Nutricionista. Especialista em Clínica e Terapêutica Nutricional. Mestra em Ciências Médicas
Publicado
2020-02-17
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido