OSTEOPATIA NA SÍNDROME DO CANAL DE ALCOCK

RELATO DE UM CASO

  • Elenilton Picoli
  • Lucas dos Santos
  • Renata D`Agostini Nicolini-Panisson Centro Universitário da Serra Gaúcha/ Professora Doutora Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Reabilitação

Resumo

INTRODUÇÃO: O nervo pudendo pode sofrer compressão na sua passagem pelo Canal de Alcock, estrutura formada pelas fáscias do músculo obturador interno (ZIOUZIOU et al, 2013). Traumas diretos ou tensões anormais provocadas pela posição sentada podem comprimir os tecidos e formar uma estase venosa no canal aumentando a compressão neural e gerando dores sensitivas de queimação e ardência que se propagam pelas ramificações terminais do nervo, denominada de Síndrome do Canal de Alcock (LISOVOSKY, 2015). OBJETIVOS: Analisar os efeitos na qualidade de vida, dor, incontinência urinária e sintomas clínicos antes e após o tratamento fisioterapêutico através de técnicas osteopáticas de um indivíduo diagnosticado clinicamente com a Síndrome do Canal de Alcock.  MÉTODO: Relato de caso clínico em que foram realizados cinco atendimentos de osteopatia no período de vinte e um dias.  INSTRUMENTOS: anamnese, questionário Short Form-36 (SF-36), Questionário Internacional de Incontinência Urinária (ICIQ-SF) e Escala Visual Analógica (EVA), que foram aplicados no primeiro encontro e reavaliados no último dia. A EVA foi utilizada também no início do atendimento, antes da avaliação músculo esquelética e no fim de todas as sessões. RESULTADOS: O tratamento fisioterapêutico com uso de técnicas osteopáticas resultou em melhora na qualidade de vida, diminuição da sintomatologia e da dor na paciente descrita nesse relato de caso de Síndrome do Canal de Alcock. CONCLUSÃO: O uso de técnicas osteopáticas mostrou-se uma boa opção de tratamento para a paciente relatada nesse estudo com Síndrome do Canal de Alcock, com melhora na sintomatologia, dor e qualidade de vida após cinco sessões.

 

 

BIBLIOGRAFIA

LISOVOSKI, F. Les doulers périnéales par lésions tronculaires. Le Rachis, n.5, 2015.

ZIZOUZIOU, I; BENNANI, A; ZIZI, M; KARMOUNI, T; KHADER, KE. Le syndrome du canal d’Alcock ou névralgie pudendale: undiagnostic à ne pas méconnaître. Can Urol Assoc Journal, v.7, n.7-8, p.486-9, 2013.

 

Publicado
2020-02-19
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido