CONSERVADORISMO, DESAMPARO CONTEMPORÂNEO E REPERCUSSÕES NA VIVÊNCIAS DE GÊNERO

  • Hana Ariel Falk
  • Gabriela da Silva
  • Sabrina Cerchiari
  • Fernanda Sartor Meinero Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG

Resumo

 O grupo de estudos de gênero GREG/FSG, criado em maio deste ano, vem se ocupando da temática de gênero, em especial a análise dos casos de feminicídio que aconteceram no município de Caxias do Sul desde a implementação da Lei. Neste breve período o GREG vem se deparando com o aumento do numero de casos de feminicídio e a circulação de discursos que demonizam o conceito gênero e o feminismo. Acreditando que a diminuição dos índices de violência de gênero tem relação direta com a desconstrução de gênero, entende-se oportuno pensar sobre o atual contexto político e social brasileiro com o objetivo de identificar os motivos de posicionamentos extremos com relação a temática de gênero.  Conceitos como conservadorismo, fundamentalismo e desamparo foram temas centrais da nossa reflexão.  O pensamento conservador é contrário a luta pela universalização dos direitos e às demandas pela radicalização da democracia. Costuma esta associada à ideologia do mercado e a agenda de combate ao avanço dos direitos humanos.  Neste sentido, as teorias de gêneros também acabam sendo refutadas pelo pensamento conservador.  Este movimento traz consigo o questionamento da organização social, das hierarquias e desigualdades decorrentes, o que vai em contra ao pensamento conservador. Para alguns esta desestabilização provoca um sentimento de desamparo, palavra que foi encontrada nos escritos de Freud em 1895.  Assim, com relação às questões de gênero entende-se como fundamental romper com padrões imperativos de masculinidades e feminilidades que aprisionam os sujeitos em um modelo normativo. Uma democracia nos garante a liberdade de expressão ouvir de fato todos os posicionamentos.

 

Publicado
2020-02-19
Seção
Ciências Jurídicas e Sociais - Resumo Expandido