EFEITOS DO MÉTODO PILATES NA FUNÇÃO CARDIORESPIRATÓRIA E NAS DORES DE COLUNA

  • Giovana Valentini Pedroni
  • Marina Ceron Cristani
  • Taciane Bavaresco
  • Norberto Luiz Souto Neto
  • Renata D`Agostini Nicolini-Panisson Centro Universitário da Serra Gaúcha/ Professora Doutora Coordenadora do Grupo de Pesquisa em Reabilitação

Resumo

Objetivo:O objetivo desse estudo foi avaliar a função cardiorrespiratória e a dor na coluna em praticantes do método pilates comparando a praticantes de musculação.Materiais e Métodos: o estudo foi realizado com 36 participantes que praticavam as modalidades citadas. Neste foi realizada a avalição da expansibilidade pulmonar através da cirtometria, a força respiratória com o uso da manovacuometria, e a flexibilidade  que foi avaliada pela flexão anterior do corpo medindo a distância do dedo médio até o chão e os avaliados foram submetidos aos questionários sobre dor na coluna. Resultados: o Grupo Pilates (GP) apresentou resultados significativos em relação à cirtrometria nos pontos xifoidianos e basal, enquanto o Grupo Musculação (GM) apresentou uma maior circunferência axilar. Em relação à força muscular respiratória o GP apresentou maior força de PImáx (pressão inspiratória máxima) e PEmáx (pressão expiratória máxima) porém os praticantes de musculação não estão abaixo dos valores de referência. Para a flexibilidade o GP apresentou melhores resultados que o grupo GM, na avaliação de dor na coluna ambos os grupos melhoraram, GP com mais resultados que o GM. Conclusão: conclui-se que os praticantes do método pilates apresentam um melhor desempenho cardiorrespiratório em relação aos praticantes de musculação, porém até o momento da pesquisa não foram achados na literatura sobre tal motivo, sugere-se que a partir desses dados possam auxiliar em futuras pesquisas.

Publicado
2020-02-17
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Artigo Completo