O PEDAGOGO E O DESENVOLVIMENTO DE CRIANÇAS COM SÍNDROME DE DOWN NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Scheila Severo Melo
  • Cristiane Backes Welter

Resumo

INTRODUÇÃO: Esse estudo abordou o tema “O pedagogo e o desenvolvimento de crianças com Síndrome de Down na Educação Infantil”, em uma Escola de Educação Infantil da rede privada de ensino, na cidade de Caxias do Sul, Estado do Rio Grande do Sul. O objetivo principal deste trabalho de conclusão de curso foi identificar qual o papel do pedagogo para estimular o desenvolvimento e a socialização de crianças com Síndrome de Down que frequentam uma escola de Educação Infantil. MATERIAL E MÉTODOS: Usou-se como metodologia a revisão bibliográfica para rever estudos atuais sobre a temática da inclusão escolar, beneficiamo-nos com a contribuição de autores como Schwartzman (2003), Mantoan (2003) e Troncoso (1998). Além disso, usou-se como recurso a abordagem qualitativa, com foco no estudo de caso proposto por Robert Yin (2001), através da aplicação de questionários com as famílias dos alunos Down. Buscou-se esclarecer as diferenças entre a Educação Especial e a Educação Inclusiva, visto que são aspectos distintos. Nesse trabalho opta-se por compreender que as crianças com Síndrome de Down estão representadas nos estudos e pesquisas sobre a Educação Inclusiva. Aprofundamos o estudo da legislação que regulamenta a Inclusão Escolar para analisar como a Síndrome de Down está representada em termos legais e fez-se uma análise sobre a Síndrome de Down e suas dificuldades de aprendizagem. RESULTADOS E DISCUSSÕES: No que diz respeito a formação do pedagogo entende-se que esse profissional necessita ampliar seus conhecimentos sobre a Síndrome de Down para contribuir no desenvolvimento de crianças com essa síndrome. Explorou-se algumas estratégias e recursos pedagógicos que podem e devem ser utilizados pelo pedagogo na Educação Infantil, concluindo que o pedagogo é parte fundamental no desenvolvimento da criança com Síndrome de Down, pois ela necessita de muita estimulação desde os seus primeiros anos de vida. CONCLUSÃO: É preciso que haja um clima afetivo e de confiança entre o pedagogo e a criança para que a aprendizagem seja um desafio estimulante e positivo para ambos.
Publicado
2020-02-19
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido