PERFIL DE ATENDIMENTO EM UNIDADE DE TERAPIA INTENSIVA DE HOSPITAL FILANTRÓPICO DA SERRA GAÚCHA

  • Caroline Marsilio FSG
  • Ângela Carissimi Susin Centro Universitário da Serra Gaúcha - FSG

Resumo

Objetivo: Identificar o perfil epidemiológico das internações, com avaliação sazonal, em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) adulto do Sistema Único de Saúde (SUS). Metodologia: Pesquisa descritiva e retrospectiva com coleta de dados através de base de dados da unidade. Foram incluídos todos os pacientes com admissão na unidade entre os anos de 2012 e 2018, nos meses de verão e inverno. A apreciação dos dados epidemiológicos ocorreu através da plataforma Microsoft Excel. Resultados: A amostra total foi composta por 1314 pacientes. Uma maioria masculina (62.9%), com média de 55 anos de idade foi observada. As admissões clínicas foram as mais comuns (43.9%), seguidas das internações por causas cirúrgicas (37.1%) e traumáticas (19%). Foi possível observar uma maioria de admissões por trauma nos meses de verão (54.8%), dos quais 72.2% ocorreram em indivíduos com menos de 40 anos, ao passo que no inverno essa porcentagem cai para 64.5%. Um total de 39.9% da amostra apresentava como comorbidades a hipertensão e 17.7%, a diabetes mellitus. A média de permanência na unidade foi de 8 dias. A taxa de mortalidade foi 21.9% na população geral, sendo maior no inverno, com 24.1% das internações na estação, em comparação ao verão, com 19.7%. Considerações finais: A oferta de cuidados intensivos de qualidade é indissociável da organização da assistência, que pode ocorrer através de identificação de perfil atendido e qualificação da equipe conforme este perfil. Projetos como o UTIs brasileiras devem ser incentivados, assim como os registros locais, almejando qualificação do cuidado aos pacientes em UTI.

Publicado
2021-03-11
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Artigo Completo