AVALIAÇÃO DE TAMPÃO APICAL EM DENTES BOVINOS PERMANENTES JOVENS COM HIDRÓXIDO DE CÁLCIO E MTA

UM ESTUDO IN VITRO

  • Caroline Kuhn FSG - Centro Universitário da Serra Gaúcha
  • Marília Paulus FSG Centro Universitário
  • Alexandre Conde FSG Centro Universitário
  • Lucas Pigozzi FSG Centro Universitário
  • Mariá Cortina Bellan FSG Centro Universitário

Resumo

O tratamento endodôntico tem o objetivo primordial de propiciar a desinfecção do canal radicular. Durante a etapa de obturação, os materiais mais comumente utilizados são a guta-percha e o cimento endodôntico associadamente, entretanto, embora biocompatíveis, no momento em que são aquecidos podem ser citotóxicos se em contato com a região periapical. A endodontia de dentes com rizogênese incompleta configura um desafio clínico, pois não é obtido um batente apical, o que pode causar extravasamento do material de obturação. Dentes permanentes com rizogênese incompleta são aqueles que não possuem sua região apical radicular no estágio 10 de Nolla e não possuem dentina apical envolvida por cemento. Após a erupção dental, para que ocorra o completo desenvolvimento radicular, o tempo estimado é de três anos, com particularidade quanto à localização do forame apical, a qual é diferente, sendo encontrado na porção final radicular. O formato de seus canais é amplo, com forma de cone com base larga apical e forame largo, agente que prejudica o travamento do cone principal na obturação. Há possibilidade de três situações clínicas serem observadas em dentes imaturos que necessitam intervenção endodôntica: vitalidade pulpar integral, vitalidade no terço apical e necrose pulpar. Logo, a necessidade do uso de materiais que induzam à construção de uma barreira de tecido mineralizado nesses dentes com polpas necróticas é de suma importância. Lesões de cárie e, principalmente, traumas são as que mais comumente causam injúrias pulpares, levando à necrose. O dente mais afetado é o incisivo central superior, e a faixa etária mais acometida é entre os oito e dez anos de idade. O processo de apicificação consiste no esvaziamento do canal radicular, limpando-o com soluções irrigantes, hipoclorito de sódio 1% ou clorexidina 2% e soro fisiológico, com margem de segurança de menos 3 mm, e a instrumentação é realizada de forma manual. Após, é confeccionado o plug apical, com espessura de 3 a 4 mm. Esse procedimento é caracterizado como um meio de estimular a formação de uma barreira radicular ou dar continuidade a sua formação apical em dentes com mortificação pulpar, possibilitando imediata obturação. O tempo até a formação da barreira de tecido mineralizado apical não é pré-definido, tendo variáveis como a dimensão do forame apical, a correta assepsia do canal radicular e o material eleito, devendo esse ter capacidade de escoamento adequada, evitando extravasamento aos tecidos perirradiculares. No processo de formação de barreira apical, o hidróxido de cálcio P.A é o material mais comumente empregado, sendo associado ao propilenoglicol, permitindo que o material aja por contato com a liberação de íons cálcio, e ao iodofórmio devido a sua radiopacidade. Outrossim, o agregado trióxido mineral (MTA) também é utilizado para confecção de plug apical, e a relevância da sua utilização se dá pela biocompatibilidade. Ainda, estudos mostram que é possível associar o MTA ao hidróxido de cálcio P.A e propilenoglicol no tratamento desses elementos dentários. O objetivo deste estudo in vitro será avaliar, através da radiografia digital, o preenchimento dos canais de dentes incisivos bovinos permanentes jovens quando realizado tampão apical com diferentes materiais.Estudo experimental laboratorial in vitro no Centro Universitário da Serra Gaúcha, no curso de Odontologia (FSG). Para este teste, serão utilizados dentes incisivos permanentes bovinos com rizogênese incompleta imersos durante 7 dias em cloramina para desinfecção. O preparo químico mecânico será realizado de forma manual com as limas tipo K (Dentsply) e serão utilizadas as soluções irrigadoras hipoclorito de sódio 1% e soro fisiológico. Após, serão utilizados os materiais indicados na confecção do tampão apical: hidróxido de cálcio P.A (Biodinâmica) associado ao propilenoglicol (Quimidrol) e ao iodofórmio (K-Dent), MTA (Angelus) juntamente com hidróxido de cálcio P.A e propilenoglicol e somente MTA. Após finalizar o tampão apical, os dentes serão analisados através de radiografia digital a fim de avaliar se houve um correto preenchimento dos dentes. Serão obturados com cones de guta percha e cimento AH Plus (Dentsply) e logo após a conclusão das obturações serão radiografados novamente, com o intuito de avaliar a qualidade do preenchimento dos canais. O número de dentes por grupo será de 10 (n= 10/ grupo). Para a análise estatística os dados serão submetidos ao teste Qui-quadrado com nível de significância de 5%. Os resultados serão analisados e descritos após a execução do projeto.

Publicado
2021-03-16
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido