USO DE EPI’S E SEU IMPACTO NA SAÚDE DO CIRURGIÃO-DENTISTA EM TEMPOS DE COVID-19

  • Milena Gabrieli FSG Centro Universitário, Caxias do Sul, RS
  • Alexandre Conde
  • Lucas Bozzetti Pigozzi
  • Marília Paulus
  • Mariá Cortina Bellan

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: Uma boa ergonomia aplicada na área odontológica se faz essencial para prevenir doenças ocasionadas por conta da profissão. A presença de doenças relacionadas ao trabalho estão diretamente ligadas ao comportamento ergonômico de cada indivíduo, entretanto, diante da atual situação de pandemia, declarada pela OMS em 11 de março de 2020, ocasionada pelo novo Coronavírus, as práticas odontológicas de biossegurança e ergonomia tornaram-se ainda mais relevantes em decorrência da exposição de riscos à saúde do profissional da área odontológica. Em virtude do atendimento odontológico possuir alta probabilidade de transmissão, as medidas de biossegurança e uso correto dos EPIs demonstram-se imprescindíveis para prevenção de doenças. O objetivo do presente estudo é avaliar por meio de questionários quais EPIs estão sendo utilizados por cirurgiões-dentistas durante o período de pandemia e verificar a presença de dores musculoesqueléticas relatadas por atuantes da área em decorrência do novo estilo de vida profissional. MATERIAL E MÉTODOS: Este projeto será submetido ao Comitê de Ética do Centro Universitário da Serra Gaúcha. A população estudada será baseada em PEREIRA et al. (n=100), constituída por indivíduos cirurgiões-dentistas atuantes da profissão durante o período de pandemia. A pesquisa utilizará o banco de dados do curso de Odontologia da FSG Centro Universitário para poder contatar os profissionais e enviar um Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) aos formados na instituição e professores do curso com contrato vigente. Após a concordância os profissionais que demonstrarem interesse em participar do estudo, estes receberão via e-mail dois questionários autoaplicáveis na plataforma Google Forms® para serem respondidos. Os questionários visam identificar o perfil dos odontólogos participantes, quais EPIs estão sendo utilizados na pandemia e detectar a presença de dores osteomusculares e a localização destas dores. Após este período será executada a análise dos questionários, os dados obtidos serão tabulados em uma tabela no programa Microsoft Office Excel e exportados para o Software SPSS v.17. Estes dados serão submetidos ao teste qui-quadrado com nível de confiança de 95% e serão apresentados na forma de frequência absoluta e percentuais por meio de gráficos e tabelas. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Os resultados serão avaliados após à execução do projeto. CONCLUSÃO: Baseado neste estudo será possível ter o conhecimento dos protocolos de biossegurança seguidos pelos cirurgiões-dentistas durante o atendimento odontológico em período de pandemia, ademais, será constatada a presença ou ausência de dores musculoesqueléticas acarretadas por estes novos protocolos.  
Publicado
2021-03-18
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido