AVALIAÇÃO IN VITRO DA MICROINFILTRAÇÃO MARGINAL DE DOIS MATERIAIS IONOMÉRICOS RESTAURADORES EM CAVIDADES CLASSE III

  • Débora Mioranza Vivan FSG
  • Priscila Stona
  • Marília Paulus
  • Luíza Bonesi Boff

Resumo

: Na odontologia, a conservação da estrutura dentária é fundamental, por este motivo novos materiais foram desenvolvidos com o objetivo de melhorar a qualidade e durabilidade dos materiais restauradores, obtendo-se resultados clínicos melhores a longo prazo (MAZUMDAR et al, 2019). Para a longevidade da restauração, a adesão dos materiais restauradores às paredes da cavidade é a razão para que não ocorra microinfiltração na interface. A microinfiltração é a passagem clinicamente imperceptível de bactérias e fluidos orais, entre as paredes da cavidade e o material restaurador utilizado (SUDHAPALLI et al, 2018). A compatibilidade entre a cavidade a ser restaurada e o material restaurador é de suma importância para a longevidade da restauração. Outros problemas encontrados na região cervical são a contração da polimerização e a possível formação de microfendas (BAHSI et. al 2019). O objetivo do presente estudo in vitro será avaliar a microinfiltração marginal em cavidades classe III em coroas de dentes bovinos, restaurados com dois tipos de materiais: Cention N (IVOCLAR VIVADENT) e Vitro Fil LC (DFL), através da avaliação da penetração de um corante fucsina violeta. MATERIAL E MÉTODOS: Serão selecionados 20 incisivos bovinos e armazenados em cloramina (DINÂMICA) por 7 dias antes do preparo da cavidade. As cavidades serão preparadas na face mesial e distal de cada dente conforme preconizado na disciplina de dentística do Centro Universitário da Serra Gaúcha, em alta rotação com refrigeração água/ar utilizando as pontas diamantadas 1013 e 1112 (KG SORENSEN), as brocas serão substituídas a cada cinco preparos. As cavidades padrão Classe III serão preparadas com as seguintes dimensões: largura mesiodistal de 2 mm, largura cervico-oclusal de 2 mm e profundidade de 1,5 mm. Os dentes selecionados para cada grupo serão secos e restaurados com os respectivos materiais restauradores, polidos e finalizados conforme as instruções do fabricante. Após, as amostras serão imersas em corante básico de fucsina a 0,5% por 24 horas. Após a remoção da solução de corante, os dentes serão cuidadosamente lavados em água da corrente e seccionados mesiodistalmente em metades de seu eixo longo, utilizando um disco de diamante com refrigeração de água e examinados em estereomicroscópio 10X. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Os resultados serão avaliados posteriormente à execução do projeto. CONCLUSÃO: Um tratamento restaurador ideal deve apresentar um selamento marginal adequado com o objetivo de evitar a possibilidade de microinfiltração. Para que a restauração tenha sucesso clínico e longevidade na cavidade oral. (SUDHAPALLI, 2018). Com isso justifica-se a comparação da microinfiltração marginal dos dois materiais utilizados neste estudo.
Publicado
2021-03-17
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido