CARTILHA DE TELEFISIOTERAPIA DIRECIONADA AO PACIENTE SUBMETIDO A REABILITAÇÃO CARDIOVASCULAR

  • Isadora Rodrigues Schlichting
  • Bruna Eibel
  • Caroline Bernardes FSG

Resumo

INTRODUÇÃO: Devido ao enfrentamento da pandemia que da COVID-19, despertou-nos uma preocupação com os pacientes que precisariam de reabilitação neste momento e que seria impossibilitado de realizar devido a indicação de isolamento social para evitar a proliferação do vírus. Desta forma, começamos a ouvir muito sobre a telefisioterapia/telemonitoramento, modalidade que os fisioterapeutas encontraram para continuar propiciando atendimentos e monitorização dos casos através dos meios de comunicação capazes de possibilitar a comunicação através de vídeo-chamadas. Assim, fomos motivados a confeccionar cartilhas explicativas com orientações necessárias que fossem capazes de dar suporte a este tipo de atendimento. OBJETIVO: Instruir os pacientes acerca de seu caso clínico e dar suporte aos atendimentos que acontecerão na modalidade online. MÉTODOS: A cartilha foi confeccionada a partir de buscas nas bases de dados Scielo, PubMed e Google Acadêmico, buscando os pontos fortes de uma reabilitação cardíaca para que pudéssemos adaptar e organizar a mesma. As imagens foram inseridas para que a mesma ficasse autoexplicativa e ilustrada facilitando o entendimento do usuário. RESULTADOS E DISCUSSÕES: A cartilha foi dividida em cinco etapas: inicialmente foram colocados algumas orientações de como aconteceria o atendimento em uma espécie de “Introdução ao Atendimento”, logo em seguida, detalhamos exercícios respiratórios que julgamos importantes para a evolução deste paciente. Após, inseriu-se alguns exemplos de alongamentos e algumas dicas de como os mesmos

devem ser executados. Posteriormente, falamos sobre a execução dos exercícios aeróbicos, trazendo sugestões e ensinando como realizar a monitorização dos mesmos. E por fim, o fortalecimento, trazendo informações como carga, repetições, intervalos e ilustrações de como executá-los. Vale salientar que em todos os momentos citados o fisioterapeuta estará supervisionando e ajustando tudo conforme o adequado. CONCLUSÃO: A partir disso, conclui-se que, a telefisioterapia / telemonitoramento é uma boa alternativa em tempos difíceis como este que estamos vivendo, mas é importante salientar que nada substitui o trabalho presencial de um fisioterapeuta e a aplicação de seus conhecimentos em contato direto com o paciente. Acredita-se que seja importante situar ao pacientes sobre seu caso trazendo-lhes orientações e explicações sobre o seu plano de tratamento, neste momento orientamos pacientes cardíacos, mas será interessante orientar outras patologias também.

Publicado
2021-03-17
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido