ÁGUA OZONIZADA COMO COADJUVANTE NO TRATAMENTO DE PACIENTES PERIODONTAIS

ENSAIO CLÍNICO DE BOCA DIVIDIDA

  • Danielle Haugg FSG
  • Patrícia Deon Pissetti

Resumo

INTRODUÇÃO/FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA: A ozonioterapia vem sendo estudado por diversos profissionais da saúde, em suas mais variadas áreas o que inclui a Odontologia. O ozônio possui propriedades benéficas que, agregadas aos tratamentos, tendem a melhorar a resposta cicatricial e maximizar as vantagens dos tratamentos já reconhecidos para os pacientes. O ozônio é muito apreciado na odontologia, nas questões periodontais, endodônticas, cirúrgicas e até mesmo na cariologia. A formação do ozônio é com a inclusão de um terceiro átomo de oxigênio, torna-se bioxidativo resultando então, sua ação biológica. Ele é um poderoso agente oxidante, bactericida e desinfetante que purifica a atmosfera. O ozônio não produz resíduos que prejudiquem a saúde humana. Devido ao seu poder oxidante tem como subproduto o oxigênio, deixando-o mais atraente para os tratamentos e benefícios advindos de sua utilização. Já é comprovado cientificamente que o ozônio possui diversas propriedades biológicas, o que dá validade ao seu poder terapêutico. Tem capacidade de modular o estresse oxidativo e biológico. O O3 é capaz de melhorar o metabolismo do oxigênio, estimulando enzimas que participam de sua metabolização. O mais comentado é seu efeito bactericida, por ter propriedades que combatem bactérias gram + e gram -, além de fungos e vírus. Já é comprovado seu poder desinfetante e esterilizante. Quando aplicado localmente, tem propriedades analgésicas e anti-inflamatórias, atuando principalmente nos ácidos graxos poli-insaturados da membrana celular bacteriana. O ozônio também tem efeito imunoestimulante, influenciando no sistema imunológico celular e humoral. Tem como efeito também, a síntese de substâncias biologicamente ativas, como por exemplo interleucinas, leucotrienos e prostaglandinas, que são muito benéficas para a diminuição das inflamações e na cicatrização tecidual. A ozonioterapia, com suas excelentes propriedades vem contribuindo de forma eficaz no sucesso do tratamento periodontal. Devido às propriedades biológicas do ozônio, como ser antimicrobiano e cicatricial, ele está se tornando um grande aliado no tratamento de pacientes periodontais. Normalmente os agentes biológicos responsáveis por agredir o periodonto são na maioria bactérias vulneráveis ao ozônio.  MATERIAL E MÉTODOS: Ensaio clínico de boca dividida. Previamente ao início do experimento, serão realizados exames clínicos iniciais de índice de placa visível (IPV) e índice de sangramento gengival (ISG). Caso os pacientes apresentem sinais clínicos de inflamação supragengival (ISG+), os pacientes serão submetidos ao controle do biofilme supragengival e, assim que estiver controlado (ISG -) poderá participar do estudo. Os pacientes deverão apresentar, em dentes monorradiculares, PS de 5mm ou mais associado à presença de PI e SS. O padrão de distribuição deverá ser semelhante entre os 4 quadrantes examinados. O tratamento periodontal subgengival será realizado em 2 sessões, uma para a arcada superior e outra para a arcada inferior. A boca será dividida em quatro quadrantes que receberão individualmente e, por sorteio, as seguintes abordagens terapêuticas: raspagem e alisamento subgengival com curetas; Raspagem e alisamento subgengival com curetas e irrigação com água destilada; Raspagem com ultrassom e água destilada e alisamento com curetas; e Raspagem com ultrassom e água ozonizada e alisamento com curetas. Após 90 dias será a reavaliação do tratamento. Serão realizados os exames IPV, ISG, FRP, PS, SS e PI. Os resultados obtidos serão então comparados entre os grupos terapêuticos. RESULTADOS E DISCUSSÕES: Serão analisadas as medidas através dos sinais clínicos inflamatórios, como profundidade de sondagem e perda de inserção, em relação aos exames iniciais subgengivais previamente realizados. Será utilizado o ANOVA, para fins de fazer a relação estatística numérica entre os sítios examinados. Caso haja significância em relação estatística, será utilizado para comparação múltipla o teste de TUKEY.  CONCLUSÃO:  Este estudo será concluído em breve.

 

Publicado
2021-03-16
Seção
Saúde e Ciências Agroveterinárias - Resumo Expandido