CULTURA PERMANENTE E CULTURA TEMPORÁRIA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA DO TRATAMENTO CONTÁBIL DAS CULTURAS PELOS MÉTODOS DE CUSTO E DE VALOR JUSTO

Natacha Moreira de Oliveira, Lenka da Silva Rosendo, Jocksanny Maria Del Rio Leal, GILBERTO Magalhães da Silva Filho, Luiz Gustavo de Sena Brandão Pessoa

Resumo


Dois tipos de cultura compõem o ativo biológico agrícola: a permanente e a temporária. A mensuração das culturas pode ocorrer por meio dos métodos de custo histórico e de valor justo, os quais possuem características, vantagens e desvantagens específicas. Desta forma, objetivou-se analisar, de forma comparativa, o tratamento contábil das culturas permanente e temporária por meio dos métodos de custo e de valor justo. A pesquisa se classificou como descritiva, exploratória, qualitativa e como estudo de caso, já que se criou uma empresa fictícia para o seu desenvolvimento. Após a aplicação dos métodos de custo e de valor justo, expostos por meio de razonetes, realizou-se a análise dos dados de forma descritiva. Os resultados demonstraram que o método de custo histórico se apresentou como mais objetivo e simplificado em sua adoção, enquanto que o método de valor justo como critério de avaliação retratou um acompanhamento mais fidedigno no que diz respeito às mutações do ativo, porém, sua aplicação apresentou maior complexidade. Concluiu-se que ambos os métodos são relevantes como critérios de avaliação, e o que irá determinar a escolha de que método utilizar para avaliação dos ativos biológicos agrícolas é a necessidade de informação da organização.


Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.